Move That Jukebox!


NPSH com Lily Allen, inéditas do Klaxons, o filme do Animal Collective e o “Fala, Lúcio!” by movethatjukebox
fevereiro 4, 2009, 3:22 pm
Filed under: Outros | Tags: , , , ,

oasis

Nosso colega Lúcio Ribeiro voltou a comentar sobre a vinda do Oasis para o Brasil e, segundo ele, estão sendo negociados shows da banda para abril e maio desse ano. Pra que não tem o hábito de ler o blog do jornalista, dei um crtl+paste em um dos parágrafos de seu último artigo:

Parece (vou repetir: Parece) que a Mondo Entretenimento ganhou a parada da T4F e está fechando o grupo inglês Oasis para shows no Brasil em abril e maio. Na lista de shows da banda em seu MySpace, é exatamente na segunda parte de abril e em maio todo que existe um buraco. Tem até um pré-contrato assinado e tudo, tipo jogador de futebol. Faltariam detalhes para o anúncio. Tipo o Oasis não achar de ir para o Japão. Começa a fazer algum sentido bizarro aquele show do Oasis em Belém que a gente ouviu falar há algumas semanas… Será?

Fiquem atentos: As fontes do Lúcio estão acertando cada vez mais.

Quase junto com o vazamento de seu álbum, Lily Allen anunciou as primeiras datas da turnê americana de It’s Not Me, It’s You. Já são 15 datas confirmadas, começando em 1º de abril (e não é mentira, hoho), e a agenda não deve parar de crescer. Para a abertura dos shows foram escalados meus queridinhos do Natalie Portman’s Shaved Head, que deu uma entrevista ao Move That Jukebox! nos últimos dias.

Na noite de ontem (3), o Klaxons fez mais um de seus tradicionais shows londrinos. As novidades na apresentação foram “Silver Forest” e “Imaginary”, músicas do próximo disco do grupo. Em outubro do ano passado, James Righton e cia. incluiram outras duas faixas inéditas em seu setlist: “Valley of Calm Trees” e “Moonhead”.

Valley of Calm Trees @ Marina da Glória, RJ

Recém-saído dos estúdios depois das sessões que deram origem ao Merriweather Post Pavilion, o vocalista do Animal Collective deu uma entrevista ao XFM na qual falou sobre um outro projeto da banda, que teve início há dois anos atrás. Enquanto trabalhavam no sucessor de Strawberry Jam, os membros do AC começaram a preparar um curta-metragem baseado em imagens abstratas e, provavelmente, bem psicodélicas – como de praxe. O filme está sendo produzido em uma parceria com o diretor e amigo Danny Perez e ganhará trilha sonora inédita que, segundo a banda, jamais será tocada em um de seus shows. Nenhuma previsão de lançamento foi dada.

Por Alex Correa

Anúncios


Uma dose exagerada de informação by movethatjukebox

Hoje é quarta-feira, mas está quase tudo parado devido as férias de final de ano e, claro, à véspera de ano novo. Todos preparados para o réveillon? Eu estou e, para finalizar o ano bem, venho fazer um mega update sobre os acontecimentos dos últimos dias. Como se não bastasse a coletânea do Marçal…

Ah, antes de começarmos… Você já votou no Best Blogs Brazil? O Move That Jukebox! está entre os cinco primeiros em sua categoria, mas queremos ainda mais – e, para isso, contamos com você! Se inspirem na mobilização bonita que está acontecendo na comunidade do The Killers em prol do nosso brogui (e, se você for moderador de alguma outra comunidade, mobilize seu povo!). Agora vamos lá…

– O Blur andou se atualizando e reformou completamente sua página no MySpace, que agora conta com blogs recentes e agenda de shows atualizada. Vale lembrar que o grupo volta aos palcos em Julho com dois shows marcados (sendo que um deles já teve seus ingressos esgotados) e que, segundo o The Sun, estão confirmadíssimos para o Glastonbury ’09. Mesmo com as atualizações, a tensão de saber quem são os misteriosos “special guests” não passa – uma situação semelhante à dos brasileiros em relação às bandas brasileiras que abrirão para Kraftwerk e Radiohead no Just a Fest, que acontece nos dias 20 e 21 de Março.

– Falando em Blur, o baixista Alex James falou ao The Mirror que ficaria surpreso se Amy Winehouse e Pete Doherty sobrevivessem até a virada do século. O curioso é que o próprio Alex, que já admitiu ter consumido cocaína em quantidades altíssimas, está vivíssimo até hoje com seus recém-comemorados quarenta anos. É mais ou menos aquele papo de cospir no prato em que comeu… ou não.

– Ah, emendando com o tópico de cima, o assistente do empresário de Amy deu uma declaração a um jornal local em que dizia que a cantora torrava cerca de 3,500 libras com drogas SEMANALMENTE. Além disso, Alex Haines ainda lembrou do momento bulímica de Wino contando que chegou a encontrar sua escova de dentes vo-mi-ta-da. Barbaridade, né? E o pior é que falavam que os dois tinham um caso, lembram?

– Sei que isso é desinteressante para a maioria de vocês, mas vale comentar que o Ladytron estará abrindo (mandem um “alô” pro meu gerundismo infame) para o bom e velho Depeche Mode láá na européia Península Balcânica em Maio. A gente nunca sabe quando um leitor jukeboxer vai dar uma passadinha por aquela região, não é verdade?

– Nomeado a personalidade do ano pelo MusiCares, o músico Neil Diamond receberá homenagens de Adele, Foo Fighters, Coldplay e de outros artistas em um concerto beneficente em fevereiro, coladinho com a cerimônia do Grammy. Com 67 anos, Neil segue os passos de outros grandes nomes como Bono Vox, Sting, Elton John, Quincy Jones e Pavarotti.

– Enquanto as apresentações brasileiras do Coldplay não são confirmadas, a banda divulga em seu site oficial algumas coisinhas para o Natal. Visitando Coldplay.com, você pode fazer o download gratuito de Viva La Vida remixada por Thin White Duke (a.k.a. Stuart Price, que já remixou Kasabian, New Order, Beck, The Killers, Madonna e uma penca de outros artistas) e conferir o quarteto usando gorros de papai noel e fazendo sua versão de Jinggle Bells com o ator Simon Pegg (ok que o vídeo não quer rodar no meu computador, mas ele está lá!). A performance natalina foi feita no O2 Arena, onde Chris Martin foi barrado durante alguns minutos por um segurança que não o reconheceu.

– Pegando as sobrinhas do Coldplay, estão dizendo por aí que Chris fará uma participação no próximo CD de Leona Lewis. Será?

– A campanha One Laptop Per Child (um laptop por criança, em português) recriou John Lennon digitalmente para dar ainda mais força à sua campanha. Na propaganda, John pode ser ouvido e assistido incentivando a causa: “Imagine se todas as crianças do mundo, independente de onde estiverem, pudessem acessar um universo de conhecimento”. Yoko Ono aprovou, e você vê o vídeo aqui:

Ian Brown, vocalista do extinto Stone Roses, avisou aos fãs pelo MySpace que está trabalhando em novo material. O sexto álbum do cara deve ser lançado em Agosto.

– Depois de lançar o documentário Mirroir Noir, o Arcade Fire está trabalhando em seu terceiro álbum – mas Win Butler avisa: Sem responsabilidade alguma. Butler contou à Pitchfork que está adorando compor sem ter a usual responsabilidade de gravar um disco em um período de tempo pré-determinado, mas também deixou claro que não quer fazer os fãs esperarem tanto para um álbum novo quanto aconteceu entre o lançamento de Funeral (2004) e Neon Bible (2007).

– O site A.V. Club publicou uma lista quilométrica do que, para ele, foram os piores nomes de bandas de 2008. Dividida em categorias (como “Melodramatic Theater Nerd Names”, “Still Doing The Wolf Thing” e “!!!!!!!!”), a lista classifica o Natalie Portman’s Shaved Head (da categoria “Reworking Proper Names and Trademarks”) como o pior nome de banda do ano. Aguardem, pois vocês vão saber o que o grupo achou disso assim que a primeira  magazine em PDF do Move That Jukebox! for lançada, na primeira quinzena de janeiro.

– Antes de ver o Little Joy ao vivo, os brasileiros vão poder comprar a edição nacional do disco do trio (que, ao vivo, se transforma num sexteto) em diversas lojas. O álbum será lançado pelo selo Som Livre Apresenta a partir de janeiro e foi escolhido pelo jornalista britânico Nick Hornby (autor do filme Alta Fidelidade) como o melhor de 2008. Na lista do rapaz, Vampire Weekend vem logo atrás (rimou, rere), na segunda posição.

– Assistindo a um show do Killers em Londres, Sir. Paul McCartney resolveu seguir a linha de Elton John e soltou que gostaria de gravar algo com os americanos. Mais uma vez usando o The Sun como fonte, eu digo a vocês: Paul não só gostou da apresentação como libertou seu eterno espirito jovial e entrou no camarim de Brandon Flowers dançando e usando uma máscara feito a de Alice Cooper. Tá aí algo que eu pagaria pra ver.

– Por hoje, é só. 2008 vai acabando e, nas últimas horas do ano, gostaria de desejar muita sorte, dinheiro e pessoas do sexo oposto (ou do mesmo sexo, caso você curta) a todos vocês! Feliz ano novo, uhuuu!

Por Alex Correa



Do The Dance! – Vol. 5 by marçal

Estavam com saudade da animação das músicas de festa? Fiquei duas semanas sem escrever a coluna por falta de tempo, mas aqui estou novamente para as recomendações mais alegres deste blog. Já que os deixei carentes não vou me prolongar e partir direto para as recomendações, que hoje estão em maior número, como um pedido desculpas pelas duas semanas vazias.

Cut Copy – Nobody Lost, Nobody Found

Para mim um dos melhores álbuns do ano, ‘In Ghost Colours’, o mais recente deste trio de Melbourne, é cheio de hits, e um deles é ‘Nobody Lost, Nobody Found’. Base dançante, baixo marcante e refrão pop. SIJOGA!

Natalie Portman’s Shaved Head – Slow Motion Tag Team

Só pelo nome já da pra notar que eles querem mais é se divertir sem medo. E ouvindo ‘Slow Motion Tag Team’ se tem certeza disto. Música sem compromisso, apenas guitarras, sintetizadores, vozes agudas, e muita, muita diversão.

Justice – DVNO (Sunshine Brothers Mix)

Em ritmo de Skol Beats, vou recomendar uma música de cada uma das atrações que eu estou mais ansioso para ver. A primeira é Justice, que teve DVNO remixada pelos Sunshine Brothers, que tiraram o peso do maximal francês, colocaram batidas rápidas e dançantes e mudaram a melodia, inserindo vários recortes na voz. Ouça e verá do que estou falando.

Digitalism – ZDRLT (Rewind)

A outra atração é o Digitalism. Com o hype do Justice nesse festival, o duo alemão acaba ficando meio esquecido. E aqui está uma outra versão da música ‘Zdarlight’ feita por eles mesmos, em que foram adicionados vocais e partes da música original tocando de trás pra frente, para demonstrar o quanto eles também têm a mostrar em seu live neste sábado. Viva o Skol Beats!

Kid Sister – Control

Bases eletrônicas, duo de homem e mulher fazendo rap a la gangsta, mas sem cara de 50 Cent ou outros ascendentes do gueto. O lance da Kid Sister é fazer hip hop para a pista de dança, para curtir sem precisar fazer cara de mau ou mostrar os anéis, correntes e grillz. Como eu sempre defendo, diversão sem conceitos.

Late Of The Pier – Broken (Fairy Lights Mix)

Estava faltando um pouco de rock por aqui. O remix para a ótima ‘Broken’ não tirou sua essência rock, pois a guitarra e o baixo continuam lá. Apenas adicionou batidas eletrônicas e aumentou sua velocidade, para deixar a música ainda melhor de se ouvir e perfeita para se dançar.

Bom, após uma coluna com o dobro de recomendações, fico por aqui, mas volto semana que vem com mais músicas para manter seu astral lá em cima. Hasta la vista!

Autor: Marçal Righi