Move That Jukebox!


O que você precisa (ou não) saber do Grammy by Gabriel
fevereiro 11, 2009, 11:10 pm
Filed under: Coldplay, Outros, Paul McCartney, Premiações, Radiohead | Tags: , , , ,

Com duração de cerca de três horas e meia, e muitas atrações, a 51ª edição do Grammy aconteceu no Staples Center, em Los Angeles, com Whitney Houston anunciando as principais premiações da noite.

Pra quem perdeu ou dormiu antes do fim, confira nosso super resumo do que realmente chamou nossa atenção.

Premiações

O grande e indiscutível destaque da noite  foi de uma dupla, Robert Plant (Led Zeppelin) e Alison Krauss, por conta do lançamento de “Raising Sand”, de 2007. Os dois levaram pra casa 5 estatuetas, nas seguintes categorias: álbum do ano (“Raising Sand”), gravação do ano (“Please read the letter”), melhor colaboração pop com vocais (“Rich woman”), melhor colaboração country com vocais (“Killing the blues”) e melhor álbum de folk contemporâneo (“Raising sand”).

Lil Wayne, rapper americano líder de indicações à premiação, levou quatro das oito categorias em que concorria: melhor álbum de rap (“Tha Carter III”), melhor performance individual de rap (“La Milli”); melhor canção de rap (“Lollipop”), e melhor colaboração de rap (“Swagga like us”).

O Coldplay, um dos veteranos do Grammy, não ficou muito pra trás, conquistando três das sete categorias as quais foi indicado: canção do ano (“Viva la Vida”), melhor performance pop em dupla ou grupo com vocais (“Viva la Vida”), e melhor álbum de rock (“Viva la vida or death and all his friends”).

Nosso querido Radiohead, além de uma ótima apresentação na noite, levou os prêmios por melhor álbum de música alternativa (“In Rainbows”) e melhor box de edição limitada, também por “In Rainbows”.

Adele também não ficou de fora. A cantora britânica conquistou duas das quatro categorias em que participou: artista revelação e performance vocal pop feminina (“Chasing Pavements”).

Gilberto Gil, único brasileiro entre os indicados, não conquistou a única categoria em que participava, pelo melhor álbum de world music.

Apresentações

Mesmo não concorrendo aos prêmios da noite, o U2 marcou presença na  cerimônia apresentando “Get on your boots”,o novo single do próximo disco do grupo, “No line on the horizon”.

Ao lado de Dave Grohl, Paul McCartney (que não ganhou nas duas categorias em que disputou) cantou “I saw her standing there”, música de abertura do primeiro disco dos Beatles, Please Please Me.

Outro grande destaque da noite ficou por conta do Radiohead e sua fantástica apresentação de “15 steps”, ao lado do grupo de metais e percussão da University of Southern California, que você pode baixar em nossa comunidade, ou ouvir aqui.

Isso não é tudo. O restante da enooorme lista de vencedores, você confere aqui, no próprio site da premiação.

Por Gabriel Zorzo

Anúncios


Uma dose exagerada de informação by movethatjukebox

Hoje é quarta-feira, mas está quase tudo parado devido as férias de final de ano e, claro, à véspera de ano novo. Todos preparados para o réveillon? Eu estou e, para finalizar o ano bem, venho fazer um mega update sobre os acontecimentos dos últimos dias. Como se não bastasse a coletânea do Marçal…

Ah, antes de começarmos… Você já votou no Best Blogs Brazil? O Move That Jukebox! está entre os cinco primeiros em sua categoria, mas queremos ainda mais – e, para isso, contamos com você! Se inspirem na mobilização bonita que está acontecendo na comunidade do The Killers em prol do nosso brogui (e, se você for moderador de alguma outra comunidade, mobilize seu povo!). Agora vamos lá…

– O Blur andou se atualizando e reformou completamente sua página no MySpace, que agora conta com blogs recentes e agenda de shows atualizada. Vale lembrar que o grupo volta aos palcos em Julho com dois shows marcados (sendo que um deles já teve seus ingressos esgotados) e que, segundo o The Sun, estão confirmadíssimos para o Glastonbury ’09. Mesmo com as atualizações, a tensão de saber quem são os misteriosos “special guests” não passa – uma situação semelhante à dos brasileiros em relação às bandas brasileiras que abrirão para Kraftwerk e Radiohead no Just a Fest, que acontece nos dias 20 e 21 de Março.

– Falando em Blur, o baixista Alex James falou ao The Mirror que ficaria surpreso se Amy Winehouse e Pete Doherty sobrevivessem até a virada do século. O curioso é que o próprio Alex, que já admitiu ter consumido cocaína em quantidades altíssimas, está vivíssimo até hoje com seus recém-comemorados quarenta anos. É mais ou menos aquele papo de cospir no prato em que comeu… ou não.

– Ah, emendando com o tópico de cima, o assistente do empresário de Amy deu uma declaração a um jornal local em que dizia que a cantora torrava cerca de 3,500 libras com drogas SEMANALMENTE. Além disso, Alex Haines ainda lembrou do momento bulímica de Wino contando que chegou a encontrar sua escova de dentes vo-mi-ta-da. Barbaridade, né? E o pior é que falavam que os dois tinham um caso, lembram?

– Sei que isso é desinteressante para a maioria de vocês, mas vale comentar que o Ladytron estará abrindo (mandem um “alô” pro meu gerundismo infame) para o bom e velho Depeche Mode láá na européia Península Balcânica em Maio. A gente nunca sabe quando um leitor jukeboxer vai dar uma passadinha por aquela região, não é verdade?

– Nomeado a personalidade do ano pelo MusiCares, o músico Neil Diamond receberá homenagens de Adele, Foo Fighters, Coldplay e de outros artistas em um concerto beneficente em fevereiro, coladinho com a cerimônia do Grammy. Com 67 anos, Neil segue os passos de outros grandes nomes como Bono Vox, Sting, Elton John, Quincy Jones e Pavarotti.

– Enquanto as apresentações brasileiras do Coldplay não são confirmadas, a banda divulga em seu site oficial algumas coisinhas para o Natal. Visitando Coldplay.com, você pode fazer o download gratuito de Viva La Vida remixada por Thin White Duke (a.k.a. Stuart Price, que já remixou Kasabian, New Order, Beck, The Killers, Madonna e uma penca de outros artistas) e conferir o quarteto usando gorros de papai noel e fazendo sua versão de Jinggle Bells com o ator Simon Pegg (ok que o vídeo não quer rodar no meu computador, mas ele está lá!). A performance natalina foi feita no O2 Arena, onde Chris Martin foi barrado durante alguns minutos por um segurança que não o reconheceu.

– Pegando as sobrinhas do Coldplay, estão dizendo por aí que Chris fará uma participação no próximo CD de Leona Lewis. Será?

– A campanha One Laptop Per Child (um laptop por criança, em português) recriou John Lennon digitalmente para dar ainda mais força à sua campanha. Na propaganda, John pode ser ouvido e assistido incentivando a causa: “Imagine se todas as crianças do mundo, independente de onde estiverem, pudessem acessar um universo de conhecimento”. Yoko Ono aprovou, e você vê o vídeo aqui:

Ian Brown, vocalista do extinto Stone Roses, avisou aos fãs pelo MySpace que está trabalhando em novo material. O sexto álbum do cara deve ser lançado em Agosto.

– Depois de lançar o documentário Mirroir Noir, o Arcade Fire está trabalhando em seu terceiro álbum – mas Win Butler avisa: Sem responsabilidade alguma. Butler contou à Pitchfork que está adorando compor sem ter a usual responsabilidade de gravar um disco em um período de tempo pré-determinado, mas também deixou claro que não quer fazer os fãs esperarem tanto para um álbum novo quanto aconteceu entre o lançamento de Funeral (2004) e Neon Bible (2007).

– O site A.V. Club publicou uma lista quilométrica do que, para ele, foram os piores nomes de bandas de 2008. Dividida em categorias (como “Melodramatic Theater Nerd Names”, “Still Doing The Wolf Thing” e “!!!!!!!!”), a lista classifica o Natalie Portman’s Shaved Head (da categoria “Reworking Proper Names and Trademarks”) como o pior nome de banda do ano. Aguardem, pois vocês vão saber o que o grupo achou disso assim que a primeira  magazine em PDF do Move That Jukebox! for lançada, na primeira quinzena de janeiro.

– Antes de ver o Little Joy ao vivo, os brasileiros vão poder comprar a edição nacional do disco do trio (que, ao vivo, se transforma num sexteto) em diversas lojas. O álbum será lançado pelo selo Som Livre Apresenta a partir de janeiro e foi escolhido pelo jornalista britânico Nick Hornby (autor do filme Alta Fidelidade) como o melhor de 2008. Na lista do rapaz, Vampire Weekend vem logo atrás (rimou, rere), na segunda posição.

– Assistindo a um show do Killers em Londres, Sir. Paul McCartney resolveu seguir a linha de Elton John e soltou que gostaria de gravar algo com os americanos. Mais uma vez usando o The Sun como fonte, eu digo a vocês: Paul não só gostou da apresentação como libertou seu eterno espirito jovial e entrou no camarim de Brandon Flowers dançando e usando uma máscara feito a de Alice Cooper. Tá aí algo que eu pagaria pra ver.

– Por hoje, é só. 2008 vai acabando e, nas últimas horas do ano, gostaria de desejar muita sorte, dinheiro e pessoas do sexo oposto (ou do mesmo sexo, caso você curta) a todos vocês! Feliz ano novo, uhuuu!

Por Alex Correa



Março vem aí by Gabriel
novembro 28, 2008, 10:48 pm
Filed under: Coldplay, Keane, Radiohead | Tags: , ,

Parece até sonho.

Só o fato de termos Radiohead confirmado, em março, já é motivo de muita empolgação e início das economias. Mas calma, a coisa piora.

Março promete vir para falir todos, de fato. De acordo com o amado e odiado (mais odiado) Lúcio Ribeiro, teremos Coldplay em meados do mesmo mês, além de Keane, no dia 23, colado com o Radiohead.

Sabemos que a fonte não é das melhores, mas às vezes ele acerta. E ele diz mais! Desta vez o Brasil estará incluído em uma grande turnê do Coldplay, com direito a 6 shows ‘espalhados’ pelo país. Dois em São Paulo, dois no Rio, um em Porto Alegre, e…calma…um em Belo Horizonte \o/



Lúcio diz by Neto
outubro 31, 2008, 10:38 am
Filed under: Outros | Tags: ,

O Radiohead já confirmou suas primeiras datas na América do Sul, e isso é fato. Sigur Rós está no mesmo barco. Agora, Coldplay também pode estar na jogada. Vejam o que Lúcio Ribeiro publicou em seu blog:

* “RADIOHEAD AND COLDPLAY ARE A GO” – Assim chegou para mim nesta quarta-feira o email de um insider do circuito latino-americano de shows. A banda inglesa Radiohead, o cultuado grupo que mais vem-não-vem da história do showbis brasileiro, bateu o martelo quanto à oferta de Brasil, Chile e Argentina, os únicos três lugares na América do Sul que eles aceitaram tocar. Peru (novo “corredor” de shows) e Colômbia estavam na disputa. O desenho das apresentações do Radiohead por aqui é comandado pela Argentina, onde Thom Yorke e turma devem tocar em algum dia do finalzinho de março. Os shows de Brasil e Chile serão programados por volta dessa data. Já o Coldplay, de Chris Martin e Jay-Z (haha), desembarcam no mesmo período na região, para mais shows que o Radiohead. O Coldplay deve começar a nova turnê sul-americana em março. Sai pra lá, hein, crise econômica. Nem vem.

Uma outra – e mais pesada – banda européia confirmou sua presença em palcos tupiniquins: O Iron Maiden. A produtora do grupo confirmou que eles TAMBÉM passam por aqui em março de 2009. Com agenda cheia, é bom começar a guardar seus salários desde já.

Por Alex Correa



Vem aí by Neto

Não há nada melhor do que receber uma boa dose de atualização. Por isso, o Move That Jukebox! preparou uma lista dos próximos lançamentos interessantes em CD e DVD.

– Mallu Magalhães lança um DVD em breve. O álbum da estréia da menina, sem se perder no tempo, deve ser lançado nos próximos dias. A capa está aqui.

– No dia 24 (sexta-feira), chega as lojas irlandesas o quinto CD do Snow Patrol, A Hundred Million Suns, mas é claro que você já pode encontrá-lo pela internet. Um clipe já foi lançado para Take Back The City, primeiro single do álbum. A capa do disco você confere abaixo:

– Em 4 de novembro, tem mais brasileiros na área. É nessa data que Fabrizio Moretti e Rodrigo Amarante soltam o primeiro álbum do Little Joy, projeto recém-criado da dupla. Dizem que um show em território nacional pode acontecer até o meio do ano que vem.

– E a cada dia que passa, minha ansiedade para ouvir Day & Age na íntegra aumenta. A obra é do The Killers, uma das minhas bandas favoritas, e só será lançado no final de novembro. É claro que algumas novidades fazem com que o tempo passe mais rápido, e por isso trago coisas novas a vocês. A primeira é extremamente empolgante: O vídeo de Human, música que rola na internet há tempos, já foi lançado – e é bem bonito, por sinal. E, vale comentar, esse é o primeiro registro oficial do Brandon Flowers sem bigode depois da era cabeluda pela qual o vocalista passou. A capa de Day & Age está nesse link, e o clipe de Human localiza-se logo abaixo:

– Viva Lo Album Del Coldplay! O meu espanhol pode não andar muito bom, mas a capa do próximo lançamento do Coldplay é ótima. A capa de Prospekts March, coletânea de músicas descartadas do Viva La Vida Or Death And All His Friends, usa mais uma vez uma pintura do francês Eugéne Delacroix. No Reino Unido, Prospekts é lançado dois dias depois do terceiro disco do The Killers, em novembro. A lista de faixas também foi anunciada, e nos mostra que Lhuna (que foi gravada num dueto com Kylie Minogue) ainda deve demorar um pouco mais para chegar ao público. No entanto, uma versão remixada de Lost! com vocais de Jay-Z podem acalmar os ânimos dos que gostam de parcerias inusitadas.

  1. “Life in Technicolor II”
  2. “Postcards from Far Away”
  3. “Glass of Water”
  4. “Rainy Day”
  5. “Prospekt’s March/Poppyfields”
  6. “Lost+” (com Jay-Z)
  7. “Lovers in Japan (Osaka Sun Mix)”
  8. “Now My Feet Won’t Touch the Ground”

– No primeiro dia de dezembro, quando muita gente já estará em férias escolares, o The Holloways estará lançando o EP de inéditas Sinners and Winners. A edição em LP será limitadíssima, mas também haverá um lançamento digital.

– O Modest Mouse ainda não anunciou mais detalhes, mas um novo EP deve sair ainda em 2008. O mini-álbum será uma espécie de compilação das músicas que foram gravadas nas sessões de Good News For People Who Love Bad News (2004) e We Were Dead Before The Ship Even Sank (2007), mas também existe a possibilidade de inéditas aparecerem no tracklist.

– O novo do Arctic Monkeys ainda não tem previsão de lançamento, mas o grupo já está trabalhando duro nele há algum tempo. Enquanto isso, Alex Turner e sua trupe distraem os fãs com o lançamento de seu primeiro DVD (Scummy Man não é válido), Arctic Monkeys At The Apollo, que acontece no dia 2 de novembro.

– O terceiro disco do Franz Ferdinand ganhou data oficial de lançamento: 26 de janeiro. O nome do trabalho também foi anunciado, e será Tonight: Franz Ferdinand. A tracklist, que conta com 12 faixas, será a seguinte: Ulysses / Turn It On / Kiss Me / Twilight Omens / Send Him Away / Live Alone / Bite Hard / What She Came For / Can’t Stop Feeling / Lucid Dreams / Dream Again / Katherine Kiss Me. Uma boa parte das músicas já podem ser vistas em versões ao vivo, pelo YouTube.

Por Alex Correa



O que faltou? by Neto

Quer saber qual oi o maior problema das bandas em 2008? Tente adivinhar. Não, não foram músicas novas e ruins, mesmo reconhecendo que houveram muitas delas. Também não diria que houve pouca criatividade. Sim, acho que muitas inovaram de uma certa forma. O que faltou mesmo foi equilíbrio e, para alguns, houve uma certa deficiência de bom condicionamento físico.

Os tais problemas de equilíbrio – que serão citados repetidas vezes ao longo desse artigo – deixaram evidente a deficiência de cálcio no organismo de vários músicos. Algumas bananas e um copo de leite pela manhã parecem ser completamente estranhos à maior parte das celebridades do mundo da música.

No segundo semestre, a primeira manifestação do espiírito-do-pouco-equilíbrio se deu em agosto, em pleno show do Coldplay. É claro que, na hora em que o acidente se deu, outras centenas de pessoas mundo afora estavam prestes a se esborrachar no chão, mas nenhuma delas estava diante de tantos pares de olhos atentos quanto Chris Martin. A música era Lost!, e Chris bamboleava inspirando alegria pelo palco quando, de repente, scatapulf! – a força da gravidade foi mais forte do que o vocalista pôde resistir. Ele caiu. De costas. E ficou muito, mas muito constrangido. Pra quem viu de longe, tipo do YouTube, foi mais engraçado do que para os canadenses que estavam no concerto e que torceram para que o show continuasse. E continuou, sem pausas por sinal. Dizem que o rapaz não só se jogou como tem feito isso com mais frequência do que deveria. Ainda acredito que ele tem labirintite…

Quem deve ter rido da cena foi um declarado inimigo dos coldplayers: Noel Gallagher, do Oasis. Felizmente (ou infelizmente), todo mundo sabe que quem ri por último, ri melhor – e foi exatamente isso o que aconteceu. Não muito tempo depois do acidente (ou incidente?) de Martin, quem estava indo de encontro ao chão era o próprio Gallagher, contando ainda com a ajuda de um rapaz não muito amigável. O empurrão rendeu ao oasisman três costelas quebradas – TRÊS! Para cada costela, um show da turnê foi cancelado. Recentemente, o mais novo Liam pronunciou-se sobre o assunto, contando que “arrancaria o pênis do sujeito e o faria comê-lo”. Maldoso.

A megastar Madonna também se deu ao luxo de levar alguns tombos no palco, mesmo com os riscos que a idade pode lhe oferecer. Em meados de setembro, enquanto fazia um show animado e vulgar em Lisboa, o vento sudoeste atacou novamente. Enquanto mostrava seus dotes de guitarra para um estrondoso público, Madonna resolveu dar um pulo jovial. Tudo correu bem. Contudo, foi no segundo salto que a estrela não resistiu e foi para trás. De costas, como todos os outros. É claro que com toda a sua bagagem de shows, turnês e acontecimentos inesperados, Madonna se virou mais do que bem e sequer teve de parar o show. E quem diz que ela tem 50 anos?

A moça mais célebre do momento não fez por menos e, como uma boa cantora problemática, foi ao chão em um dos maiores festivais do ano. Quem acha que estou falando de Amy Winehouse, errou. Mentira, estou falando dela mesmo. O mundo inteiro já viu e reviu Wino caindo para trás no Rock In Rio Lisboa, mas ta aí uma coisa que merece ser lembrada. Não que seja bom lembrar-se da desgraça dos outros, mas esse momento é um dos que mais marcam a decadência da cantora. Os fieis dançarinos e backing vocalists de Amy a ajudaram a levantar, aí o show de péssima qualidade foi levado até o fim – com uma cantora insana e quase sem voz. Curioso é que essa mesma cantora ainda ousou dizer que não ficou envergonhada. Já a banda…

Por último, nada mais digno do que falar de um acontecimento recente em terras tupiniquins. Quem já esqueceu do tombo de Kele Okereke, o líder beberrão do Bloc Party? Esse é um fato que prova, sem sombra de dúvida, que 2008 não foi um ano muito bom para os mais estabanados. Não que Kele tenha caído por ser estabanado – todo mundo sabe que o cara parecia ter bebido algumas. Reza a lenda que o playback aconteceu por causa de um resfriado, mas a gente nunca sabe… De qualquer forma, playback foi assunto da semana passada – hoje eu quero falar de tombos. Interessante é que, além de cair, o vocalista do Bloc Party foi engolido pela multidão. Uma cena bizarra e lastimável.

A Mulher Melancia andou levando um tombo também, e bem no meio de sua rebolada. Mas isso é uma outra história…

Por Alex Correa



O que aconteceu no Q Awards? by Neto

Nessa segunda-feira (6), aconteceu na Inglaterra mais uma edição do Q Awards, a premiação da revista britânica Q. Essa foi sua oitava edição que, como a maioria das outras, entregou os prêmios para as músicas, vídeos e bandas mais previsíveis – e merecedoras.

O Coldplay de Chris Martin saiu de cabeça erguida, levando dois títulos para casa: O de melhor álbum, por Viva La Vida or Dearh and All His Friends (2008), e o de melhor banda da atualidade. Certamente vale ressaltar que nunca na história do Q Awards um grupo ou artista foi o vencedor de duas “categorias-chefes” na mesma edição.

Coldplay

A cantora Duffy, aquela que é um tipo de Amy Winehouse mais saudável, foi eleita a artista revelação do ano. A recém-formada adulta lançou seu álbum de estréia em março de 2008, e até agora já ganhou inúmeros discos de ouro e platina. O sucesso de Rockferry foi tão estarrecedor que deu ao trabalho uma versão dupla, o que aumentou ainda mais o número de vendas. No Q, os artistas só dependem no amor dos fãs para ganhar, tornando tudo uma questão de popularidade – quem é mais clicado, vence.

Entretando, o sucesso e talento de Duffy não foram suficientes para desbancar Keane do prêmio de melhor música. Spiralling, que havia sido disponibilizado para download cerca de um mês antes das aberturas das votações, ganhou de forma limpa e digna. Nem I Kissed a Girl de Kate Perry, um dos maiores hits pop do ano, foi capaz de tirar a vitória do trio inglês. O Vampire Weekend, que esteve perto de ganhar nessa categoria, parece ter ficado satisfeitíssimo com a escolha de A-Punk como melhor vídeo do ano. Nota-se que houve um fuzuê danado em torno da escolha de A-Punk como melhor clipe e, se você foi um desses fuzueiros, analise com atenção todos os candidatos: That’s Not My Name, Ready For The Floor, Violet Hill e Happiness. Vídeos ótimos, mas convenhamos, A-Punk tem algo a mais. Já o The Ting Tings não parece ter tido a mesma sorte dos nova-iorquinos e, mesmo com três indicações (Melhor Vídeo e Melhor Música com That’s Not My Name e Banda Revelação), voltou para Manchester de mãos abanando.

O que realmente deu gosto de ver foi Massive Attack ganhando o prêmio de inovação. Não que eu seja o maior fã da banda – pra falar a verdade, estou bem longe disso -, mas acontece que essa é uma das poucas categorias que são analisadas por jurados realmente capacitados. Desde sua criação, o trip-hop de ataque massivo do grupo foi misturado à vozes de David Bowie, Madonna, Sinéad O’Connor e muitos outros cantores, o que valeu diversas notas em jornais e revistas de todo o mundo. O próximo álbum dos britânicos inovadores tem previsão de lançamento para 2009, com a participação do grupo Elbow e canções com “almas góticas”.

Bloc Party tocou – e não fez playback

O The Last Shadow Puppets de Alex Turner e Miles Kane, que em pouco tempo de existência já garantiu um prêmio no MOJO, foi eleito como grupo revelação. Também pudera, a participação de James Ford e Owen Pallett na gravação do único álbum da banda fez dele um marco histórico na carreira de todos os envolvidos.

As únicas surpresas de toda a noite foram por parte dos eleitos para “Melhor Banda da Atualidade” e “Melhor Show”. Da primeira, nós já falamos logo no início desse artigo: Coldplay ganhou, sendo considerado melhor banda que Metallica, Oasis, Kings of Leon e Muse. Na segunda, foram deixados para trás The Verve, Kings of Leon (mais uma vez), Rage Against The Machine e Nick Cave & The Bad Seeds. Sim! Por mais imprevisível que pareça (imprevisível, não injusto), o melhor show da atualidade – segundo votos do público – é o do Kaiser Chiefs. Considere isso uma última chamada para o Festival Planeta Terra.

Por Alex Correa