Move That Jukebox!


As rapidinhas dos britânicos são as melhores! by Nádia Lapa

Acho que “Lily Allen” só perde pra “Franz Ferdinand” em número de aparições neste blog nos últimos dias. Também, ela se esforça pra ser notícia! É claro que ninguém jamais falaria nela se o mais recente álbum da inglesa, It’s not me, it’s you, não fosse um sucesso.

No sábado, dia 14, ela fez um show em Glasgow, na Escócia. Contrariando as tradições locais, embebedou-se com vinho branco durante a apresentação. No final, foi vista vomitando horrores na calçada.

Da próxima vez, vá de scotch mesmo, bonita!

***

Frequentemente comparada à moça da notícia acima, a irlandesa Kate Nash já gravou 14 das 16 músicas previstas para seu segundo álbum. Segundo a cantora, o novo CD será diferente do primeiro, Made of Bricks, lançado em 2007.  Duas canções já foram apresentadas ao público ano passado: I hate seagulls e Froggy. Vamos ver se alguma delas repete o sucesso de Foundations.

Eu sou amarga porque chupo limões, mas eu não bato em fotógrafos, tá?

Eu sou amarga porque chupo limões, mas eu não bato em fotógrafos, tá?

***

Continuando com moças do Reino Unido, Amy Winehouse está gastando 2 milhões de libras (quase seis milhões e meio de reais) para montar um estúdio de gravação na própria casa. Será que vai faltar dinheiro pras outras coisas que ela costuma comprar? E pra pagamento de fiança?

***

Mais Radiohead: o vocalista da banda, Thom Yorke, fez um remix da música Gazillion Ear, do rapper DOOM (conhecido até recentemente como MF DOOM). A obra só será lançada em 24 de março, mas já tem um trechinho dela rolando na rede, bem aqui. Yorke conseguiu dar uma vibe bem Radiohead à música.

***

Eu não consigo tirar o pé do velho mundo! Ingressos para os shows do U2 no Reino Unido começarão a ser vendidos na próxima sexta, dia 20. É claro que devem esgotar em segundos, como vem acontecendo com todos os grandes shows ultimamente. Como já foi dito aqui anteriormente, as apresentações acontecerão em estádios. O primeiro show marcado será nada mais nada menos que em Wembley, Londres, em 14 de agosto. Nos dias seguintes, Bono e cia se apresentarão em Glasgow, Sheffield e Cardiff.

Os ingressos serão vendidos aqui.

Estamos esperando vocês aqui!

Estamos esperando vocês aqui!

***

Desisti de abandonar a Inglaterra querida. Então taí a última notícia dessa seção: Bloc Party lancará em maio uma versão remixada de seu terceiro álbum, Intimacy. Em 27 de abril sairá o primeiro single: Signs, mixado por Armand Von Helden. Segue a lista de músicas e os respectivos produtores:

‘Ares’ (Villains)
‘Mercury’ (Hervé Is In Disarray)
‘Halo’ (We Have Band Dub)
‘Biko’ (Mogwai)
‘Trojan Horse’ (John B)
‘Signs’ (Armand Van Helden)
‘One Month Off’ (Filthy Dukes)
‘Zephyrus’ (Phase One)
‘Talons’ (Phones RIP)
‘Better Than Heaven’ (No Age)
‘Ion Square’ (Banjo or Freakout)
‘Letter To My Son’ (Gold Panda)
‘Your Visits Are Getting Shorter’ (Double D)

Eu tenho um nome impronunciável e fiz um show ruim no Planeta Terra, mas quero ganhar um dinheirinho. Hã? Show da MTV brasileira? Hã?Não lembro...

Eu tenho um nome impronunciável e fiz um show ruim no Planeta Terra, mas quero ganhar um dinheirinho. Hã? Show da MTV brasileira? Hã?Não lembro...

Nádia Lapa, que tem certeza que nasceu no lugar errado. God save the Queen!

Anúncios


Coachella? Não dessa vez, Amy. by movethatjukebox
março 9, 2009, 3:54 pm
Filed under: Outros | Tags: ,

Amy Winehouse está de volta às páginas virtuais do Move That Jukebox!, depois de muito tempo vivendo de fofoquinhas sobre suas férias no Caribe.

amy

Nos últimos dias, a cantora ficou sabendo que um novo processo de agressão está sendo movido contra ela, o que, de acordo com seu assessor, impossibilitará sua viagem aos Estados Unidos, onde tocaria no Coachella em abril. O motivo para tal pessimismo é bem claro: Amy já teve seu visto rejeitado no ano passado  e, com mais um processo correndo, será quase impossível conseguir permissão para aterrissar no continente norte-americano.

Essa seria a primeira grande apresentação de Winehouse depois de suas longas férias de verão – acompanhadas de surtos constantes, topless e um programa contra-crack pro-maconha. A grande reestréia ficará por conta dos ingleses, que a assistem em 30 de maio no Shepherd’s Bush Empire, onde gravou seu DVD em 2007.

O Coachella ainda consta na agenda do MySpace de Amy.

Por Alex Correa



Uma dose exagerada de informação by movethatjukebox

Hoje é quarta-feira, mas está quase tudo parado devido as férias de final de ano e, claro, à véspera de ano novo. Todos preparados para o réveillon? Eu estou e, para finalizar o ano bem, venho fazer um mega update sobre os acontecimentos dos últimos dias. Como se não bastasse a coletânea do Marçal…

Ah, antes de começarmos… Você já votou no Best Blogs Brazil? O Move That Jukebox! está entre os cinco primeiros em sua categoria, mas queremos ainda mais – e, para isso, contamos com você! Se inspirem na mobilização bonita que está acontecendo na comunidade do The Killers em prol do nosso brogui (e, se você for moderador de alguma outra comunidade, mobilize seu povo!). Agora vamos lá…

– O Blur andou se atualizando e reformou completamente sua página no MySpace, que agora conta com blogs recentes e agenda de shows atualizada. Vale lembrar que o grupo volta aos palcos em Julho com dois shows marcados (sendo que um deles já teve seus ingressos esgotados) e que, segundo o The Sun, estão confirmadíssimos para o Glastonbury ’09. Mesmo com as atualizações, a tensão de saber quem são os misteriosos “special guests” não passa – uma situação semelhante à dos brasileiros em relação às bandas brasileiras que abrirão para Kraftwerk e Radiohead no Just a Fest, que acontece nos dias 20 e 21 de Março.

– Falando em Blur, o baixista Alex James falou ao The Mirror que ficaria surpreso se Amy Winehouse e Pete Doherty sobrevivessem até a virada do século. O curioso é que o próprio Alex, que já admitiu ter consumido cocaína em quantidades altíssimas, está vivíssimo até hoje com seus recém-comemorados quarenta anos. É mais ou menos aquele papo de cospir no prato em que comeu… ou não.

– Ah, emendando com o tópico de cima, o assistente do empresário de Amy deu uma declaração a um jornal local em que dizia que a cantora torrava cerca de 3,500 libras com drogas SEMANALMENTE. Além disso, Alex Haines ainda lembrou do momento bulímica de Wino contando que chegou a encontrar sua escova de dentes vo-mi-ta-da. Barbaridade, né? E o pior é que falavam que os dois tinham um caso, lembram?

– Sei que isso é desinteressante para a maioria de vocês, mas vale comentar que o Ladytron estará abrindo (mandem um “alô” pro meu gerundismo infame) para o bom e velho Depeche Mode láá na européia Península Balcânica em Maio. A gente nunca sabe quando um leitor jukeboxer vai dar uma passadinha por aquela região, não é verdade?

– Nomeado a personalidade do ano pelo MusiCares, o músico Neil Diamond receberá homenagens de Adele, Foo Fighters, Coldplay e de outros artistas em um concerto beneficente em fevereiro, coladinho com a cerimônia do Grammy. Com 67 anos, Neil segue os passos de outros grandes nomes como Bono Vox, Sting, Elton John, Quincy Jones e Pavarotti.

– Enquanto as apresentações brasileiras do Coldplay não são confirmadas, a banda divulga em seu site oficial algumas coisinhas para o Natal. Visitando Coldplay.com, você pode fazer o download gratuito de Viva La Vida remixada por Thin White Duke (a.k.a. Stuart Price, que já remixou Kasabian, New Order, Beck, The Killers, Madonna e uma penca de outros artistas) e conferir o quarteto usando gorros de papai noel e fazendo sua versão de Jinggle Bells com o ator Simon Pegg (ok que o vídeo não quer rodar no meu computador, mas ele está lá!). A performance natalina foi feita no O2 Arena, onde Chris Martin foi barrado durante alguns minutos por um segurança que não o reconheceu.

– Pegando as sobrinhas do Coldplay, estão dizendo por aí que Chris fará uma participação no próximo CD de Leona Lewis. Será?

– A campanha One Laptop Per Child (um laptop por criança, em português) recriou John Lennon digitalmente para dar ainda mais força à sua campanha. Na propaganda, John pode ser ouvido e assistido incentivando a causa: “Imagine se todas as crianças do mundo, independente de onde estiverem, pudessem acessar um universo de conhecimento”. Yoko Ono aprovou, e você vê o vídeo aqui:

Ian Brown, vocalista do extinto Stone Roses, avisou aos fãs pelo MySpace que está trabalhando em novo material. O sexto álbum do cara deve ser lançado em Agosto.

– Depois de lançar o documentário Mirroir Noir, o Arcade Fire está trabalhando em seu terceiro álbum – mas Win Butler avisa: Sem responsabilidade alguma. Butler contou à Pitchfork que está adorando compor sem ter a usual responsabilidade de gravar um disco em um período de tempo pré-determinado, mas também deixou claro que não quer fazer os fãs esperarem tanto para um álbum novo quanto aconteceu entre o lançamento de Funeral (2004) e Neon Bible (2007).

– O site A.V. Club publicou uma lista quilométrica do que, para ele, foram os piores nomes de bandas de 2008. Dividida em categorias (como “Melodramatic Theater Nerd Names”, “Still Doing The Wolf Thing” e “!!!!!!!!”), a lista classifica o Natalie Portman’s Shaved Head (da categoria “Reworking Proper Names and Trademarks”) como o pior nome de banda do ano. Aguardem, pois vocês vão saber o que o grupo achou disso assim que a primeira  magazine em PDF do Move That Jukebox! for lançada, na primeira quinzena de janeiro.

– Antes de ver o Little Joy ao vivo, os brasileiros vão poder comprar a edição nacional do disco do trio (que, ao vivo, se transforma num sexteto) em diversas lojas. O álbum será lançado pelo selo Som Livre Apresenta a partir de janeiro e foi escolhido pelo jornalista britânico Nick Hornby (autor do filme Alta Fidelidade) como o melhor de 2008. Na lista do rapaz, Vampire Weekend vem logo atrás (rimou, rere), na segunda posição.

– Assistindo a um show do Killers em Londres, Sir. Paul McCartney resolveu seguir a linha de Elton John e soltou que gostaria de gravar algo com os americanos. Mais uma vez usando o The Sun como fonte, eu digo a vocês: Paul não só gostou da apresentação como libertou seu eterno espirito jovial e entrou no camarim de Brandon Flowers dançando e usando uma máscara feito a de Alice Cooper. Tá aí algo que eu pagaria pra ver.

– Por hoje, é só. 2008 vai acabando e, nas últimas horas do ano, gostaria de desejar muita sorte, dinheiro e pessoas do sexo oposto (ou do mesmo sexo, caso você curta) a todos vocês! Feliz ano novo, uhuuu!

Por Alex Correa



O que faltou? by Neto

Quer saber qual oi o maior problema das bandas em 2008? Tente adivinhar. Não, não foram músicas novas e ruins, mesmo reconhecendo que houveram muitas delas. Também não diria que houve pouca criatividade. Sim, acho que muitas inovaram de uma certa forma. O que faltou mesmo foi equilíbrio e, para alguns, houve uma certa deficiência de bom condicionamento físico.

Os tais problemas de equilíbrio – que serão citados repetidas vezes ao longo desse artigo – deixaram evidente a deficiência de cálcio no organismo de vários músicos. Algumas bananas e um copo de leite pela manhã parecem ser completamente estranhos à maior parte das celebridades do mundo da música.

No segundo semestre, a primeira manifestação do espiírito-do-pouco-equilíbrio se deu em agosto, em pleno show do Coldplay. É claro que, na hora em que o acidente se deu, outras centenas de pessoas mundo afora estavam prestes a se esborrachar no chão, mas nenhuma delas estava diante de tantos pares de olhos atentos quanto Chris Martin. A música era Lost!, e Chris bamboleava inspirando alegria pelo palco quando, de repente, scatapulf! – a força da gravidade foi mais forte do que o vocalista pôde resistir. Ele caiu. De costas. E ficou muito, mas muito constrangido. Pra quem viu de longe, tipo do YouTube, foi mais engraçado do que para os canadenses que estavam no concerto e que torceram para que o show continuasse. E continuou, sem pausas por sinal. Dizem que o rapaz não só se jogou como tem feito isso com mais frequência do que deveria. Ainda acredito que ele tem labirintite…

Quem deve ter rido da cena foi um declarado inimigo dos coldplayers: Noel Gallagher, do Oasis. Felizmente (ou infelizmente), todo mundo sabe que quem ri por último, ri melhor – e foi exatamente isso o que aconteceu. Não muito tempo depois do acidente (ou incidente?) de Martin, quem estava indo de encontro ao chão era o próprio Gallagher, contando ainda com a ajuda de um rapaz não muito amigável. O empurrão rendeu ao oasisman três costelas quebradas – TRÊS! Para cada costela, um show da turnê foi cancelado. Recentemente, o mais novo Liam pronunciou-se sobre o assunto, contando que “arrancaria o pênis do sujeito e o faria comê-lo”. Maldoso.

A megastar Madonna também se deu ao luxo de levar alguns tombos no palco, mesmo com os riscos que a idade pode lhe oferecer. Em meados de setembro, enquanto fazia um show animado e vulgar em Lisboa, o vento sudoeste atacou novamente. Enquanto mostrava seus dotes de guitarra para um estrondoso público, Madonna resolveu dar um pulo jovial. Tudo correu bem. Contudo, foi no segundo salto que a estrela não resistiu e foi para trás. De costas, como todos os outros. É claro que com toda a sua bagagem de shows, turnês e acontecimentos inesperados, Madonna se virou mais do que bem e sequer teve de parar o show. E quem diz que ela tem 50 anos?

A moça mais célebre do momento não fez por menos e, como uma boa cantora problemática, foi ao chão em um dos maiores festivais do ano. Quem acha que estou falando de Amy Winehouse, errou. Mentira, estou falando dela mesmo. O mundo inteiro já viu e reviu Wino caindo para trás no Rock In Rio Lisboa, mas ta aí uma coisa que merece ser lembrada. Não que seja bom lembrar-se da desgraça dos outros, mas esse momento é um dos que mais marcam a decadência da cantora. Os fieis dançarinos e backing vocalists de Amy a ajudaram a levantar, aí o show de péssima qualidade foi levado até o fim – com uma cantora insana e quase sem voz. Curioso é que essa mesma cantora ainda ousou dizer que não ficou envergonhada. Já a banda…

Por último, nada mais digno do que falar de um acontecimento recente em terras tupiniquins. Quem já esqueceu do tombo de Kele Okereke, o líder beberrão do Bloc Party? Esse é um fato que prova, sem sombra de dúvida, que 2008 não foi um ano muito bom para os mais estabanados. Não que Kele tenha caído por ser estabanado – todo mundo sabe que o cara parecia ter bebido algumas. Reza a lenda que o playback aconteceu por causa de um resfriado, mas a gente nunca sabe… De qualquer forma, playback foi assunto da semana passada – hoje eu quero falar de tombos. Interessante é que, além de cair, o vocalista do Bloc Party foi engolido pela multidão. Uma cena bizarra e lastimável.

A Mulher Melancia andou levando um tombo também, e bem no meio de sua rebolada. Mas isso é uma outra história…

Por Alex Correa



As Listas da Jukebox by Neto

Textbook

Uma seleção de reportagens que não foram ao ar no Move That Jukebox!, mas que você tem que ler de qualquer forma.

#1. Festivais em Movimento (Set/08)

Adriana Alves, para a Rolling Stone BR

Folheando a vigésima quarta edição da Rolling Stone brasileira – aquela que tem a Amy Winehouse na capa… -, esbarrei com um ótimo artigo que tende a revelar a suspeita e criticada “panelinha” de festivais nacionais que se mantêm fora do circuito cultural Rio-São Paulo. Produtores, bandas independentes e atpe o presidente da Associação Brasileira dos Festivais Independentes comentam sobre a corrente que inclui o natalense Madan, o pernambucano Abril Pro Rock e o Porão do Rock, de Brasília. Para conferir, basta comprar a sua cópia na banca mais próxima ou acessar o arquivo do site da revista, clicando aqui. Ainda dá para ler sobre The Killers, Portishead, Mallu Magalhães e, é claro, sobre a estrela da capa.

#2. Does The World Need Another Indie Rock Band? (Jul/08)

Tim Walker, para o The Independent

Que o artigo é antigo eu sei, mas ainda não chegou nos monitores de muita gente. Usando as palavras certas e sem muitas papas na língua, Tim Walker escreve sobre algo que já estava mais do que na hora de ser comentado: A queda do indie rock. Glastonbury, a velha-guarda e as bandas recém-formadas que não prestam – Tim não abafa na-da. O jornalista ainda usa as citações de um “fã de música indie dos anos 80”, que não deixa de falar sobre a falta de originalidade dos grupos que têm surgido ultimamente. Também é muito questionado o real significado da palavra “indie”, que de uns tempos para cá deixou de ser usado para definir bandas independentes e agora é um adjetivo para as “bandas que usam gravatas skinny, calças skinny e suéteres skinny”. O texto é longo e em inglês, mas você não pode deixar de lê-lo. Só te custa um clique.

#3. Amy Winehouse Pregnant? (Set/08)

Castina, para o Pop Crunch

A matéria não passa de um boato mal fundamentado, que me faz lembrar de uma brincadeira óbvia que fizemos no último dia 1º de abril. Entretanto, o que mais interessa no artigo é uma fotomontagem que fizeram, tentando adivinhar como nasceria um filho de Amy Winehouse com Blake Fielder-Civil. O resultado é interessante.

Por Alex Correa

Music (for a film, a TV series, a soap opera…)

Músicas de Trilhas Sonoras que você não pode deixar passar. Séries, filmes, programas de TV… Não importa – basta ser de qualidade.

#1. New York I Love You But You’re Bringing Me Down

LCD Soudsystem

Lançada em 2007 em um álbum de nome mais curto, a música pode ser ouvida no nono episódio da segunda e curta temporada da série britânica Skins, enquanto a alienada Cassie admira Nova York pela janela de seu táxi, que não tem um destino exato. Uau.

#2. Born Bad

Juliette Lewis

Quando uma curta canção de filme vira uma música em todo o direito que a palavra lhe dá? Confesso que não sei, mas diria que Born Bad é uma música em toda a sua essência. Curioso é que Quentin Tarantino escalou Juliette para cantar esses versos em Assassinos por Natureza (1994), muito antes da atriz lançar seu primeiro trabalho como cantora, o que só veio a acontecer dez anos depois.

#3. Ottoman

Vampire Weekend

Não muito tempo depois de estrear no top 20 da Billboard, o Vampire Weekend já havia gravado Ottoman, que foi ao ar pela primeira vez nesse final de semana – e de um jeito não muito convencional para quem acabou de entrar no complexo mercado fonográfico. Desde o último dia 3, Ottoman vai ao ar nos grandes telões dos cinemas norte-americanos, ao passo que o rosto de Michael Cera fica gravada em um novo personagem: Nick O’Leary, do Nick and Norah’s Infinite Playlist.

#4. Rock of Ages

Ben Kweller

Essa é das antigas. Não que Natural Born Killers seja um lançamento da última semana, mas Rock of Ages é uma música antiga da nova geração, se é que vocês me entendem. Jamais se podê ouvi-la em The O.C., mas ela aparece entre as faixas da terceira coletânea do seriado californiano, The O.C. Mix 3: Have a Very Merry Chrismukkah. Essa, inclusive, foi a única forma de lançamento da faixa, que até hoje não é tão reconhecida como deveria. Está procurando uma boa melodia no violão, uma voz de um jovem cantor e uma música de Natal que não tem nada a ver com Natal para ouvir? Você achou Rock of Ages.

Por Alex Correa

Juicebox: Dicas Musicais Suculentas

Antes de começarmos, um conselho: o melhor e mais consistente disco de rock que eu ouvi em 2008 se chama Dig Out Your Soul e é de uma banda chamada Oasis. Faça um favor ao tédio dos seus dias e ouçam o disco.

Smoosh

É fácil falar do Smoosh especialmente porque é um som fácil de ouvir e de gostar. O Smoosh é um duo americano de duas menininhas que nasceram já nos anos 90. Com idades entre 12 e 14, Asy e Chloe tocam um indie-pop à là Lily Allen, mas com guitarrinhas invocadas que fazem ecos ao som do The Gossip e tem até uma pegada dançante. As menininhas já abriram para o Death Cab for Cutie e para o Pearl Jam (que eu nunca mencionei, mas é minha banda preferida de todos os tempos). Ouçam a pegada Bloc Party pop (no primeiro disco, pelo amor de deus) de Find a Way.

X-Wife

A sensação de achar uma banda muito boa é… muito boa. E quando acontece por acaso é mais eufórico ainda. Mas nenhuma banda apareceu tão do nada na minha frente quando a X-Wife. Eu fui abrir casualmente minha pasta de downloads do Firefox e lá estavam não um, mas DOIS discos dessa banda. Baixados. E mais ninguém usa minha máquina. Eu não me lembro de ter baixado. Na verdade, nunca tinha ouvido falar desse nome. Resolvi escutar e a surpresa foi boa – achei sensacional. Pesquisando, descobri que eles são de Portugal, apesar de cantarem em inglês. É pra quem já imaginou uma mistura de Strokes com Rapture. Um dos sons mais legais que descobri nos últimos tempos. A excelente On The Radio dá uma idéia.

Los Porongas

Nunca tinha escutado o Los Porongas porque o nome parecia ser de alguma daquelas bandas que misturam som brasileiro com rock. Tipo… Nação Zumbi. Nada contra Nação Zumbi, mas já existe o Nação Zumbi para fazer isso então eu não preciso de outras. Enfim, o nome me enganou. Apesar de rolar uma pegada de som brasileiro eventualmente, Los Porongas tá mais para rock alternativo, mesmo. Não consigo comparar com nada, desculpem. Talvez Hurtmold, mas é menos experimental e eles têm letras (excelentes, aliás). O Los Porongas entrou fácil para o meu TOP 5 de bandas brasileiras e fazem parte da (dizem efervescente) cena Acreana. Sim, porque o Acre não só existe, como produz bandas incriveis. Veja Espelho de Narciso, ao vivo.

Por Ana Freitas



Oasis em novo tour e Noel ataca novamente by Gabriel
agosto 15, 2008, 10:58 pm
Filed under: Oasis | Tags: , , , , , ,

A nova turnê britânica, marcada para coincidir com o lançamento de ‘Dig Out Your Soul’, já teve seus detalhes anunciados. Dia 6 de outubro o disco chega às lojas e no dia seguinte a banda cai na estrada.

Os dois primeiros shows ocorrerão na Liverpool Echo Arena, realizando mais 16 shows por todo o Reino Unido, num total de 9 cidades, finalizando a saga no dia 5 de novembro, em Glasgow. O início da venda de ingressos está marcado para a próxima quarta-feira, dia 20 de agosto.

O primeiro single do disco será lançado uma semana antes, mais precisamente no dia 29 de setembro.

Todas as datas você confere abaixo:

Liverpool Echo Arena (7, 8 de outubro)
Sheffield Arena (10, 11)
Birmingham NIA (13, 14)
London Wembley Arena (16, 17)
Bournemouth BIC (20, 21)
Cardiff International Arena (23, 24)
Belfast Odyssey Arena (29, 30)
Aberdeen Exhibition Centre (1, 2 de novembro)
Glasgow SECC (4, 5)

Hoje ainda, Noel Gallagher esteve em uma rádio para apresentar ‘The Shock of the Lightning’, o novo single do grupo. Mas como Noel Gallagher é Noel Gallagher, não desperdiçou a oportunidade e deu mais algumas alfinetadas em colegas de profissão, como se já não bastasse o Radiohead e o Coldplay no início da semana.

Pra começar, Mark Ronson…que de acordo com Noel, deveria escrever suas próprias músicas, ao invés de arruinar as alheias.

“Ele precisa aprender três acordes de guitarra e escrever uma música”

Nem o Kaiser Chiefs, que está com um disco sendo produzido por Mark Ronson, escapou da lingua afiada de Noel:

“Usei drogas por 18 anos e nunca fiquei tão mal ao ponto de dizer: ‘Quer saber? Eu acho que o Kaiser Chiefs é brilhante.'”

Já se referindo ao Scouting for Girls, o vocalista disse que o grupo deveria mudar seu nome para ‘Scouting for Idiots’. Até Amy Winehouse foi alvo das críticas do rapaz, sendo comparada a um cavalo.

Bom, risos para Noel Gallagher.

E se você está curioso quanto ao novo single, veja o vídeo abaixo:

fonte: contactmusic, nme, bbc 6music

autor: Gabriel



Amy Waxhouse by Neto
julho 23, 2008, 12:12 pm
Filed under: Outros | Tags: ,

Finalmente, a versão de cera da cantora Amy Winehouse está pronta e exposta no museu Madame Tussauds, localizado em Londres.

Nenhum detalhe foi esquecido: Tanto as tatuagens quanto o piercing sobre a boca de Amy (que muitas vezes é confundido com uma verruga) são perfeitamente visíveis – na parte descoberta do corpo da boneca, é claro. A estátua de cera está na sala dedicada a música do Madame Tussauds, que também tem réplicas perfeitas de Jimi Hendrix, Beatles e Madonna. O vestido e o par de brincos que foram esculpidos no corpo de Amy é o que a cantora usou no BRIT Awards de 2007, onde ganhou o prêmio de melhor cantora solo do ano.

Confira:

Aposto que essa não se droga.

Autor: Alex Correa

Fonte: Vários