Move That Jukebox!


Os discos mais decepcionantes de 2008 by movethatjukebox
dezembro 13, 2008, 12:59 pm
Filed under: Outros

Essa é a última lista da semana. Na próxima segunda-feira você começa a acompanhar as opiniões do Cédric, então se preparem para rankings completamente diferentes dos meus.

Na lista de decepções entram desde debuts de bandas que tinham EPs promissores ou que foram totalmente hypados  até discos de grupos com mais história e que me agradavam em seus lançamentos anteriores. Aí vai.

10. The Black Ghosts
Banda: The Black Ghosts
Origem: Londres, Inglaterra

Você viu que diversas bandas de electrorock, electropunk, synthpop e afins apareceram na minha lista de melhores do ano (inclusive, alguns tiveram ótimas colocações) e, quando li sobre o Black Ghosts pela primeira vez, tive certeza que ele aparecia entre todos esses – estava errado.  Falando bem resumidamente, o homônimo de estréia do grupo não tem graça.

9. Velocifero
B anda: Ladytron
Origem: Liverpool, Inglaterra

O lançamento de um quarto disco do Ladytron me animou, mesmo não sendo um grande fã de nenhum dos trabalhos da banda. Me animou e, logo nas primeiras músicas, me puxou abaixo. Por isso ele está aqui.

8. Emergency
Banda: The Pigeon Detectives
Origem: Leeds, Inglaterra

Emergency não é ruim, mas eu esperava um disco mais desenvolvido depois de Wait For Me (2007), mas não foi isso que ouvi. The Pigeon Detectives aparece aqui graças ao seu indie rock colegial que não faz evoluir.

7. Anywhere I Lay My Head
Artista: Scarlett Johansson
Origem: Nova York, Estados Unidos

Uma atriz fenomenal, um tributo a um mito. “Como eu posso não gostar de um negócio desses?”, pensei antes de baixar o disco. Pois não gostei. Fico com Cibelle fazendo Green Grass, obrigado.

6. Do You Like Rock Music?
Banda: British Sea Power
Origem: Brighton, Inglaterra

Mais um disco que chegou até mim com recomendações impecáveis e não me surpreendeu. Não sei como se indica uma coisa dessas pro Mercury Prize.

5. This is a Fix
Banda: The Automatic
Origem: Cowbridge, País de Gales

O disco de estréia do grupo é adorável, mas ao invés de se desenvolver até chegar em This Is a Fix, a impressão que tenho é a de que o cansaço com turnês e shows pesados foi roubando tudo de bom que o Automatic tinha… e deu nisso.

4. The Colourful Life
Banda: Cajun Dance Party
Origem: Londres, Inglaterra

As gravações menos elaboradas que precederam o lançamento de The Colourful Life eram agradáveis, mas parece que o Cajun perdeu a magia no lançamento de seu disco e ficou repetitivo. Uma pena.

3. Glasvegas
Banda: Glasvegas
Origem: Glasgow, Escócia

Entre os que não usam sintetizadores, o Glasvegas foi o mais hypado de 2008. Chegaram a ser capa da NME, lugar que já foi ocupado pelos meus maiores ídolos. Tal posição me fez acreditar que eu teria uma grande alegria ao ouvir o disco do grupo, mas não consegui ouvir até o final.

2. Rascalize
Banda: The Rascals
Origem: Península de Wirral, Inglaterra

As músicas de Out of Dreams e Suspicious Wit eram ótimas, e me fizeram acreditar que Rascalize seria o CD do ano. Para sustentar minha teoria, ainda veio a parceria do vocalista Miles Kane com Alex Turner no The Last Shadow Puppets, que não ficou devendo. Mas o resultado final não foi muito bem o que eu esperava.

1. Brain Thrust Mastery
Banda: We Are Scientists
Origem:  Califórnia, Estados Unidos

O último registro lançado do We Are Scientists havia sido o Crap Attack (2006)que, além de ter uma capa bonitinha, ainda tinha versões acústicas e remixes de músicas do With Love and Squalor (2005), além de b-sides antigos e covers de Sigur Rós, Art Brut e The Ronnettes. Tudo estava brilhante, e WAS estava entre os meus artistas favoritos. Isso até o lançamento de Brain Thrust Mastery que, nossa, ficou muito aquém do que a banda tinha a oferecer.

Por Alex Correa

Anúncios

11 Comentários so far
Deixe um comentário

Gostei tanto da Scarlett como cantora e do The Rascals… :(

Comentário por Amanda Caroline

Tive a mesma sensação com relação ao disco do Cajun, e tirando No Joanna, o álbum acabou sendo um mais do mesmo sem novidades. Tbm esperava mais do Pigeon; nada empolgante, só gostei de Nothing to do with you. Do Scientists só Impatience; do Rascalize só I’d be lying to you. O resto não ouvi.

Comentário por Tatiana

ah, não concordo com o Black Ghosts não. já o We Are Scientists fez um disco meia-bocazinho mesmo, mas alguma coisa por ali se salva.

Comentário por Julio

cara, como assim! nunca esperava o WAS em primeiro.
o brain thurst mastery é meu disco preferido deles /o/ e pra mim é o melhor de 2008, só perde pro Made in the dark. sério, choquei :O

Comentário por Pedro

o disco do British Sea Power é perfeito demais , tá loko mano ?

Comentário por Leopoldo

Concordo em relação ao Glasvegas. Nêgo dizendo que lembrava Interpol (em parte, é…), que era sorturno e blablabla. No lugar disso ouvi um vocalista chorão. :D Dá pra salvar duas ou três músicas…

Comentário por Tarciane de Oliveira

Po, Alex, gongou o Velocifero? Esse disco é perfeito.

Comentário por Pedro Moura

tb senti a mesma coisa sobre o glasvegas, banda mais chata do ano

Comentário por teh

O Brain Thrust Mistery demora a ser digerido, mas achei bem bom depois que dei mais chances pra ele.

Glasvegas achei bem chato, mesmo.

Comentário por anabsf

nossa que pecado o BTM em primeiro

Comentário por Bruno

Cade Tokyo Police Club aqui ??
eh horrível o cd deles !!

Comentário por Rodolfo




Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: