Move That Jukebox!


Os melhores shows (que eu vi) de 2008 by movethatjukebox
dezembro 9, 2008, 9:44 am
Filed under: Outros

Pensamos em várias formas de fazer um ranking de shows. A primeira delas englobaria todos os shows nacionais – inclusive os que não presenciamos – e, para ela, nos espelhariamos nos comentários de aprovação e reprovação que encontramos em blogs e sites espalhados pela web. Se o sistema utilizado fosse esse, o show do Bloc Party no Circo Voador (que eu perdi graças a uma semana de provas) entraria correndo nessa lista. Depois nós cogitamos a possibilidade de inserir shows que aconteceram beeem longe daqui (e que acompanhamos pelo YouTube) na lista, mas a idéia também foi descartada. Então resolvemos fazer um ranking mais simplório, com as cinco melhores apresentações que comparecemos em 2008. Hoje você confere o meu top 5 e, na semana que vem darão de cara com o do Cédric (que teve uma agenda muito mais ativa que a minha). (PS: é claro que os vídeos desse post não estarão com boa qualidade)

*EXTRA* Dan Deacon

Eu não podia deixar de falar do Dan Deacon, né? O show do cara foi demais. Demais mesmo. Mas entre ele e Justice, bem… você sabe quem eu escolhi.

5. Justice no Circo Voador


O Justice aparece em último dessa lista, mesmo tendo me agradado mais do que a apresentação do The National, que aparece com duas posições de vantagem. O set foi fantástico… The Fallen, NY Excuse, Skitzo Dancer e, no final, Master of Puppets foram remixes que surpreenderam na qualidade e no calor que passaram ao público (que pagou um preço meio alto para conseguir ver a apresentação). Entretanto, todo mundo sabe que um show feito sem comunicação com o público e com tudo lá, gravadinho, é muito mais fácil de ser feito (com todo o respeito) do que os citados na lista. De qualquer forma, ta aí. Justice (que roubou o lugar do Interpol graças a estrutura de favela da Fundição Progresso – caso você não lembre, o show teve que parar porque a chuva estava invadindo o palco).

4. The National no Tim Festival (RJ)


O show do The National foi o único de 2008 que me passou uma mensagem completamente diferente da que esperava receber, afinal, quem esperava que um grupo geek daqueles faria um show tão animado? Os instrumentos soaram mais pesados do que em todos os quatro trabalhos de estúdio dos americanos, o que rendeu um show melhor do que o da principal atração da noite – e deixou o povo da arquibancada arrependido de ter escolhido aquele lugar pra se acomodar.

3. Klaxons no Tim Festival (RJ)

A platéia batia o pé no chão móvel (?) do palco principal do Tim, pedindo para que James, Jamie, Steffan e Simon voltassem para um bis. A euforia estava lá e não dava trégua desde Bouncer, que começou a apresentação algum tempo depois que o Neon Neon, banda de abertura, se retirou do palco. Um show de ROCK que fez desde fãs pouco exigentes a críticos estupidamente chatos saírem de boca cheia da Marina da Glória. Destaque para a bagunça plena em 4 Horsemen of 2012, que você conferiu (ou deveria ter conferido) no vídeo acima – com direito a Har Mar Superstar de sunguinha e tudo.

2. Muse no Vivo Rio


Foi de arrepiar. Acho que nunca pulei tanto ao ver uma apresentação começar, já que sabia que estava prestes a ver um dos shows da minha vida. As inúmeras premiações de “melhor banda ao vivo” não me deixam mentira: Muse ao vivo é, na falta de uma expressão melhor, puro luxo. Se você não estava no Vivo Rio em 30 de julho (ou no HSBC Arena no dia seguinte), não se esqueça de estar na próxima turnê sul-americana da banda (e não me perguntem quando terá uma outra).

1. Gogol Bordello no Tim Festival (RJ)

Eu não esperava pouco do show da trupe de Eugene Hütz e, ao contrário do que tem acontecido comigo nos últimos meses, todas as minhas expectativas foram correspondidas – e até excederam o previsto. Rodinhas de bate-cabeça, banhos de vinho, um violinista que, sem clichê, não acho palavras para definir e, por último mas sem perder o destaque, o público indie do Tim Festival transformado em um bando de gente selvagemente visceral. Coitado do Junior Boys, que ficou praticamente as moscas no outro palco do Tim Festa.

//CORRE! SÓ FALTAM CINCO MIL INGRESSOS PRO SHOW DO RADIOHEAD EM SP LOTAR//

Por Alex Correa

Anúncios