Move That Jukebox!


Uma dose exagerada de informação by movethatjukebox

Hoje é quarta-feira, mas está quase tudo parado devido as férias de final de ano e, claro, à véspera de ano novo. Todos preparados para o réveillon? Eu estou e, para finalizar o ano bem, venho fazer um mega update sobre os acontecimentos dos últimos dias. Como se não bastasse a coletânea do Marçal…

Ah, antes de começarmos… Você já votou no Best Blogs Brazil? O Move That Jukebox! está entre os cinco primeiros em sua categoria, mas queremos ainda mais – e, para isso, contamos com você! Se inspirem na mobilização bonita que está acontecendo na comunidade do The Killers em prol do nosso brogui (e, se você for moderador de alguma outra comunidade, mobilize seu povo!). Agora vamos lá…

– O Blur andou se atualizando e reformou completamente sua página no MySpace, que agora conta com blogs recentes e agenda de shows atualizada. Vale lembrar que o grupo volta aos palcos em Julho com dois shows marcados (sendo que um deles já teve seus ingressos esgotados) e que, segundo o The Sun, estão confirmadíssimos para o Glastonbury ’09. Mesmo com as atualizações, a tensão de saber quem são os misteriosos “special guests” não passa – uma situação semelhante à dos brasileiros em relação às bandas brasileiras que abrirão para Kraftwerk e Radiohead no Just a Fest, que acontece nos dias 20 e 21 de Março.

– Falando em Blur, o baixista Alex James falou ao The Mirror que ficaria surpreso se Amy Winehouse e Pete Doherty sobrevivessem até a virada do século. O curioso é que o próprio Alex, que já admitiu ter consumido cocaína em quantidades altíssimas, está vivíssimo até hoje com seus recém-comemorados quarenta anos. É mais ou menos aquele papo de cospir no prato em que comeu… ou não.

– Ah, emendando com o tópico de cima, o assistente do empresário de Amy deu uma declaração a um jornal local em que dizia que a cantora torrava cerca de 3,500 libras com drogas SEMANALMENTE. Além disso, Alex Haines ainda lembrou do momento bulímica de Wino contando que chegou a encontrar sua escova de dentes vo-mi-ta-da. Barbaridade, né? E o pior é que falavam que os dois tinham um caso, lembram?

– Sei que isso é desinteressante para a maioria de vocês, mas vale comentar que o Ladytron estará abrindo (mandem um “alô” pro meu gerundismo infame) para o bom e velho Depeche Mode láá na européia Península Balcânica em Maio. A gente nunca sabe quando um leitor jukeboxer vai dar uma passadinha por aquela região, não é verdade?

– Nomeado a personalidade do ano pelo MusiCares, o músico Neil Diamond receberá homenagens de Adele, Foo Fighters, Coldplay e de outros artistas em um concerto beneficente em fevereiro, coladinho com a cerimônia do Grammy. Com 67 anos, Neil segue os passos de outros grandes nomes como Bono Vox, Sting, Elton John, Quincy Jones e Pavarotti.

– Enquanto as apresentações brasileiras do Coldplay não são confirmadas, a banda divulga em seu site oficial algumas coisinhas para o Natal. Visitando Coldplay.com, você pode fazer o download gratuito de Viva La Vida remixada por Thin White Duke (a.k.a. Stuart Price, que já remixou Kasabian, New Order, Beck, The Killers, Madonna e uma penca de outros artistas) e conferir o quarteto usando gorros de papai noel e fazendo sua versão de Jinggle Bells com o ator Simon Pegg (ok que o vídeo não quer rodar no meu computador, mas ele está lá!). A performance natalina foi feita no O2 Arena, onde Chris Martin foi barrado durante alguns minutos por um segurança que não o reconheceu.

– Pegando as sobrinhas do Coldplay, estão dizendo por aí que Chris fará uma participação no próximo CD de Leona Lewis. Será?

– A campanha One Laptop Per Child (um laptop por criança, em português) recriou John Lennon digitalmente para dar ainda mais força à sua campanha. Na propaganda, John pode ser ouvido e assistido incentivando a causa: “Imagine se todas as crianças do mundo, independente de onde estiverem, pudessem acessar um universo de conhecimento”. Yoko Ono aprovou, e você vê o vídeo aqui:

Ian Brown, vocalista do extinto Stone Roses, avisou aos fãs pelo MySpace que está trabalhando em novo material. O sexto álbum do cara deve ser lançado em Agosto.

– Depois de lançar o documentário Mirroir Noir, o Arcade Fire está trabalhando em seu terceiro álbum – mas Win Butler avisa: Sem responsabilidade alguma. Butler contou à Pitchfork que está adorando compor sem ter a usual responsabilidade de gravar um disco em um período de tempo pré-determinado, mas também deixou claro que não quer fazer os fãs esperarem tanto para um álbum novo quanto aconteceu entre o lançamento de Funeral (2004) e Neon Bible (2007).

– O site A.V. Club publicou uma lista quilométrica do que, para ele, foram os piores nomes de bandas de 2008. Dividida em categorias (como “Melodramatic Theater Nerd Names”, “Still Doing The Wolf Thing” e “!!!!!!!!”), a lista classifica o Natalie Portman’s Shaved Head (da categoria “Reworking Proper Names and Trademarks”) como o pior nome de banda do ano. Aguardem, pois vocês vão saber o que o grupo achou disso assim que a primeira  magazine em PDF do Move That Jukebox! for lançada, na primeira quinzena de janeiro.

– Antes de ver o Little Joy ao vivo, os brasileiros vão poder comprar a edição nacional do disco do trio (que, ao vivo, se transforma num sexteto) em diversas lojas. O álbum será lançado pelo selo Som Livre Apresenta a partir de janeiro e foi escolhido pelo jornalista britânico Nick Hornby (autor do filme Alta Fidelidade) como o melhor de 2008. Na lista do rapaz, Vampire Weekend vem logo atrás (rimou, rere), na segunda posição.

– Assistindo a um show do Killers em Londres, Sir. Paul McCartney resolveu seguir a linha de Elton John e soltou que gostaria de gravar algo com os americanos. Mais uma vez usando o The Sun como fonte, eu digo a vocês: Paul não só gostou da apresentação como libertou seu eterno espirito jovial e entrou no camarim de Brandon Flowers dançando e usando uma máscara feito a de Alice Cooper. Tá aí algo que eu pagaria pra ver.

– Por hoje, é só. 2008 vai acabando e, nas últimas horas do ano, gostaria de desejar muita sorte, dinheiro e pessoas do sexo oposto (ou do mesmo sexo, caso você curta) a todos vocês! Feliz ano novo, uhuuu!

Por Alex Correa



Melhores remixes de 2008 by marçal
dezembro 31, 2008, 11:30 am
Filed under: Outros

Esta lista não estava na programação dos rankings de final de ano do Move That Jukebox, porém após notar que a opinião do Alex sobre as principais revelações de 2008 era praticamente igual à minha, decidi substituir a lista que ficaria semelhante por alguma outra que não havia sido feita por nenhum dos outros três. Então resolvi selecionar os dez melhores remixes deste ano, e juntá-los em uma compilação, que está disponível para download em nossa comunidade. Let the party begin!

opcao-2

1. Björk – Wanderlust (Ratatat Remix)
2. Black Kids – I’m Not Gonna Teach Your Boyfriend How To Dance With You (The Twelves Remix)
3. Britney Spears – Womanizer (The Teenagers Remix)
4. MGMT – Electric Feel (Justice Remix)
5. Digitalism – Pogo (Shinichi Osawa Remix)
6. Metronomy – A Thing For Me (Breakbot’s B-LIVE Miami Mix)
7. Ladytron – Ghosts (The Toxic Avenger Remix)
8. Justice – DVNO (LA Riots Remix)
9. Cut Copy – So Haunted (Knightlife’s Sun-Soaked Reprise)
10. The Kills – Cheap and Cheerful (SebastiAn Remix)

Por Marçal Righi



Melhores músicas de 2008 (Parte 4) by marçal
dezembro 30, 2008, 3:45 pm
Filed under: Outros

Chegando a vocês a última coletânea musical do Move That Jukebox, a minha escolha das melhores músicas de 2008. Como disse o Alex, é bem difícil organizar as músicas em uma ordem, mas acho que consegui chegar a um ranking que se assemelha à intensidade com que as músicas me agradaram. Se acharem a lista festeira demais, peço que entendam. Músicas alegres e dançantes me agradam muito, e com certeza vocês vão poder escutar várias deste tipo baixando a coletânea, que está disponível na comunidade de downloads do Move That Jukebox!

marc

1. Does It Offend You, Yeah? – Being Bad Feels Pretty Good
2. Ratatat – Mirando
3. Metronomy – Heartbreaker
4. Cut Copy – Nobody Lost, Nobody Found
5. Foals – Olympic Airways
6. Late Of The Pier – Focker
7. Neon Neon – I Lust You
8. The Presets – This Boy’s In Love
9. CSS – Beautiful Song
10. The Killers – Spaceman
11. Fischerspooner – The Best Revenge
12. Natalie Portman’s Shaved Head – Slow Motion Tag Team
13. Estelle feat. Kanye West – American Boy
14. Little Joy – Play The Part
15. Keane – Spiralling
16. Kings Of Leon – Sex On Fire
17. The Twelves – Works For Me
18. Copacabana Club – Come Back To Me
19. Vampire Weekend – A-Punk
20. Cof Cof – Caribbean Boy

Por Marçal Righi



Melhores clipes de 2008 (Parte 4) by marçal
dezembro 29, 2008, 7:40 pm
Filed under: Outros

Começa a última semana de 2008 e também a primeira de 2009, e junto com ela vem a última leva de rankings do Move That Jukebox!, desta vez comandados por mim, Marçal Righi. Para combinar com as festas de final de ano, podem esperar listas cheias de coisas alegres e divertidas. Hoje começo com a primeira delas, a de melhores clipes do ano que se acaba.

10: Runaway
Banda: Ladytron
Álbum: Velocifero
Diretor: Mike Sharpe e Barney Steel

O Ladytron entrou de última hora nessa lista, pois tinha até esquecido do belo clipe para ‘Runaway’, segundo single de ‘Velocifero’. O preto e o branco se contrastam em todos os momentos, seja nas paredes, roupas ou instrumentos, trazendo um traço de modernidade à música cheia de batidas a la anos 80. Isso sem falar da belíssima fotografia.

9: Hearts On Fire
Banda: Cut Copy
Álbum: In Ghost Colours
Diretor: Nagi Noda

Oscilei entre este e alguns clipes que ficaram de fora para ocupar esta nona posição, mas acabei escolhendo o Cut Copy pela simples e boa idéia, expressando exatamente como aquele que levou um pé-na-bunda fica. Debaixo de uma chuva infinita. Ponto para a simplicidade.

8: A-Punk
Banda: Vampire Weekend
Álbum: Vampire Weekend
Diretor: Garth Jennings (Hammer & Tongs)

O único clipe que apareceu nas listas de melhores clipes dos quatro integrantes da trupe MTJ!. E eles merecem, fizeram um ótimo trabalho em A-Punk, tanto na música quanto no clipe.

7: This Boy’s In Love
Banda: The Presets
Álbum: Apocalypso
Diretor: Casper Balslev

Este clipe causou boas discussões pela Internet sobre a conotação homossexual que poderia passar a briga entre os dois homens, ou então se o líquido branco no qual eles lutam seria uma referência ao sêmen. Para mim tudo papo furado. O clipe está nesta lista por ser muito bem feito. Por sua extrema qualidade nas imagens de câmera lenta e na captação das expressões dos dois homens.

6: Move
Banda: CSS
Álbum: Donkey
Diretor: Keith Schofield

Os brasileiros mais ingleses do mundo da música mostraram sua criatividade e fizeram um clipe bem divertido partindo de uma idéia simples e manjada entre os turistas. Destaque para o final estilo gangsta mothafucka.

5: DVNO
Banda: Justice
Álbum: †
Diretor: So Me

Em mais um clipe criativo, Xavier e Gaspard usaram agora logotipos animados de marcas conhecidas modificados para carregarem partes da letra da música. Tudo isso com qualidade impecável. Uma aula de computação gráfica.

4: Epic Last Song
Banda: Does It Offend You, Yeah?
Álbum: You Have No Idea Where You Are Getting Yourself Into
Diretor: Indica

‘Epic Last Song’ está aqui porque conseguiu me trazer boas lembranças da minha infância. Não tem como assistir esse clipe e não lembrar de Toy Story. Duvida? Assista!

3: Pork and Beans
Banda: Weezer
Álbum: Weezer (Red Album)
Diretor: Matthew Cullen (Motion Theory)

Simplesmente o clipe mais famoso de 2008, não necessita comentários.

2: A Thing For Me
Banda: Metronomy
Álbum: Nights Out
Diretor: Megaforce

O karaokê mais diferente dos últimos tempos. Honrando a fama de inovadores, o Metronomy lançou neste mês ‘A Thing For Me’, mostrando que com clipes esbanjam a mesma criatividade que mostram em suas músicas. Por essas e outras que eles estão sempre perto do meu topo.

1: Stress
Banda: Justice
Álbum: †
Diretor: Romain Gavras

Sim, eles apareceram duas vezes por aqui, nada mais justo. O melhor clipe de 2008 (na minha opinião, claro) é mais que um clipe, é um curta-metragem que causou polêmica no mundo inteiro, sendo proibido em vários países. Uns consideram apologia à violência, outros uma expressão da realidade das grandes cidades. O que mais choca é o realismo que Romain Gavras conseguiu passar ao espectador, que somado à música do duo gera um forte sentimento: stress.

Por Marçal Righi



Melhores Músicas de 2008 (Parte 3) by Gabriel
dezembro 29, 2008, 12:23 pm
Filed under: Outros

E finalmente, a última lista da semana passada…agora, com minha coletânea de melhores músicas. Aqui a ordem não influencia muito em minha preferência, divirtam-se.

01 – Sigur Rós – Gobbledigook

02 – Beck – Orphans

03 – Ratatat – Mirando

04 – TV on the Radio – Family Tree

05 – Fleet Foxes – White Winter Hymnal

06 – Final Fantasy – Horsetail Feathers

07 – Marcelo Camelo – Liberdade

08 – Tom Zé – João nos Tribunais

09 – Little Joy – The Next Time Around

10 – Broken Social Scene Presents Brendan Canning – Snowballs and Icicles

11 – The Ting Tings – Great DJ

12 – Portishead – The Rip

13 – Uakti – Drama 3

14 – Coldplay – Viva la Vida

15 – MGMT – Time to pretend

16 – Deerhunter – Microcastle

17 – Death Cab For Cutie – Yout New Twin Sized Bed

18 – Megapuss – Surfing

O download, como sempre, você faz em nossa comunidade, neste link aqui.

Por Gabriel Zorzo



Melhores Discos de 2008 (Parte 3) by Gabriel
dezembro 28, 2008, 11:24 pm
Filed under: Outros

Semana de natal, véspera de ano novo, pouco acesso a internet. Desculpem os atrasos e aí vai mais uma lista, com alguns breves comentários. Poucos foram os álbuns que despertaram meu interesse este ano, os 19 principais listados abaixo:

19.The Killers – Day and Age

A banda encontra-se numa fase transitória, e com isso perdendo alguns fãs, angariando outros. Conceitualmente completamente diferente de Hot Fuss, e um pouco mais coeso que Sam`s Town, é um disco mais dançante e de boa qualidade, mas longe das primeiras colocações, por enquanto.

18.Vampire Weekend

Todo mundo já tå cansado de ouvir falar do Vampire Weekend, uma das revelações do ano, um ótimo clipe e bla bla bla. Tudo isso é merecido, e aqui estão eles em meio a minha humilde lista.

17.The Ting Tings

Quem me conhece sabe, este não é lá muito meu estilo musical, mas é um bom álbum que não sei porque diabos me agradou.

16.MGMT – Oracular Spectacular

Resisti por meses a ouvir o disco dos caras, mas o álbum passa por diversos momentos bons. Não atinge a perfeição como garante nosso amigo Alex, mas merece um posto nesta lista.

15.Megapuss – Surfing

14.Tom Zé – Estudando a Bossa

Tom Zé é sensacional. Talvez o estilo proposto pelo álbum não agrade a muitos aqui, mas é um ótimo disco, com grandes parcerias.

13.Broken Social Scene Presents Brendan Canning – Something For All Of Us…

Agora é Brendan Canning quem encabeça o projeto. O disco não supera o anterior, de Kevin Drew….mas ainda é ótimo.

12.Beck – Modern Guilt

Beck dispensa apresentações e comentários.

11.Portishead – Third

Não sou um conhecedor profundo dos trabalhos anteriores do Portishead, mas este disco me surpreendeu. Um show não seria nada ruim.

10.Uakti – Blindness

Uakti é um grupo daqui de Belo Horizonte. Uma das características principais do grupo é o fato de desenvolverem novos instrumentos musicais. Este ano foram encarregados da trilha do Ensaio Sobre a Cegueira, ou Blindness, como preferir. O resultado ficou bem interessante, recomendo.

9.TV on the Radio – Dear Science

Em Dear Science, TVotR conseguiu atender as grandes expectativas que rondavam o lançamento do temido terceiro álbum. Com certeza uma das grandes bandas atuais que merecem atenção.

8.Coldplay – Viva La Vida or Death and All His Friends

O aguardado quarto álbum do Coldplay. Como já abordado por aqui, não o considero nenhuma obra-prima, mas possui alguns pontos fortes, com músicas excelentes, e outros bem baixos, com músicas terríveis. No geral é um bom disco, e consegue o seu lugar nesta lista.

7.Little Joy – Little Joy

Uma das boas surpresas do ano. O trabalho de Rodrigo Amarante e Fabrizio Moretti surpreende…um disco tranquilo e sem grandes ambições que já conquistou fãs mundo a fora.

6.Final Fantasy EP – Spectrum, 14th Century EP

5.Final Fantasy EP – Plays To Please

Sempre por trás de alguns arranjos de grandes bandas, ou outras contribuições, Owen Pallet lançou não só um, mas dois bons EP`s este ano….ambos merecidamente colocados nesta lista.

4.Deerhunter – Microclastle

Muito bom. Uma das principais, se não a maior revelação de 2008.

3.Ratatat – LP3

Outra das minhas grandes descobertas desse ano, graça ao nosso amigo Marçal, que chega logo mais. Um pouco mais exótico que o `Classics`, disco anterior, LP3 levou um pouco mais de tempo para ser digerido, mas é tão espetacular quanto.

2.Sigur Rós – Með Suð í Eyrum Við Spilum Endalaust

Muita percussão e menos viagem. Alguns dizem que este é o disco mais acessível da banda…uma vez que conta até com uma faixa em inglês. É verdade, e tudo isso rendeu um excelente trabalho que merece atenção.

1.Fleet Foxes – Fleet Foxes

Sem dúvida alguma um dos melhores discos do ano, e uma das minhas maiores descobertas dos últimos tempos. Disco beirando a perfeição. Ok, menos.

Por Gabriel Zorzo



Melhores Shows de 2008 (Parte 3) by Gabriel
dezembro 27, 2008, 3:57 pm
Filed under: Outros

Bom, o ano não foi dos mais ativos, em shows, para mim. Alguns perceberão a ausência das principais atrações que passaram por essas terras em minha lista, uma vez que foi baseada no que pude assistir. Então vamos lá, para a segunda (e atrasada) lista da semana:

3.Marcelo Camelo BH

Como um bom e velho los hermaníaco, não pude deixar de ir ao show do Camelo. O CD novo é bom, tem pontos fortes e outros baixos, muito baixos. Mas o show consegue surpreender.

O maior problema foram os nossos queridos tietes, ou três moleques retardados, como preferir. Mas tirando isso, Camelo se mostrou bastante simpático com o público, tentando, quando possível, interagir, algo não muito comum em outros tempos.

A banda acompanhante de Camelo também não decepcionou. O Hurtmold chegou por horas a roubar a cena, com músicos talentosos e simpáticos. E que trompetista foda era aquele.

E pra terminar, como não poderia faltar, o momento nostálgico los hermanístico, que por fim animou a todos os presentes.

2.Móveis Coloniais de Acaju BH

Sem dúvida alguma, o Móveis Coloniais de Acaju se destaca como uma das principais bandas brasileiras que surgiram nos últimos anos, e não é difícil saber o motivo. A música dos caras é boa, e o show…sensacional. Até quem não conhece o trabalho da banda consegue se animar no show. É saxofonista correndo pra um lado, trompetista pro outro, vocalista no meio da platéia. A interatividade, a animação e a voz perdida garante o lugar deles nesta lista.

1.Muse SP

Internacionalmente respeitado por seus shows, o Muse não fez feio por aqui. Sem grandes produções de cenário e outras frescuras mais, a banda subiu ao palco e comandou o público que berrava os seus clássicos. Sensacional.

Por hoje não é só pessoal.

Hoje ainda (eu acho), outra lista…pra compensar o atraso. Aguardem.

Por Gabriel Zorzo