Move That Jukebox!


Surfiiing undergroooound by movethatjukebox
novembro 3, 2008, 7:22 pm
Filed under: Outros | Tags: ,

Álbum: Surfing

Artista: Megapuss

Lançamento: Novembro de 2008

Nota: 4.2/5.0

Nunca havia dado muita atenção ao trabalho de Devendra Banhart. De Greg Rogove, Noah Georgeson e Aziz Ansari, confesso nunca ter ouvido falar. Fabrizio Moretti, claro, sempre esteve sendo reproduzido no meu iTunes, guiando a bateria dos Strokes, mas jamais havia considerado a possibilidade de usar a sua voz em gravações. Rodrigo Amarante, mais um brasileiro, só teve espaço no meu iPod bem recentemente, comandando o Little Joy.

Basicamente, isso é o que o Megupuss é pra mim: Um oceano de novidades. Mas é claro que o mix de culturas empregado em Surfing, primeiro álbum da banda – que não gosta de ser vista como um projeto paralelo -, não se resume a isso. Esse não é apenas um belo trabalho, mas sim um disco que é cotado para aparecer em minha mais tarda lista de melhores do ano.

Não demora muito para Surfing começar a somar pontos com o ouvinte. Logo na faixa de abertura, Crop Circle Jerk ’94, o álbum já mostra que quer marcar – e marca. A melodia é leve, cantada como se não houvesse amanhã, e usa oohs e aahs que sempre acabam por me conquistar. Devendra e seus amigos ainda surfam por outras essências, letras bem humoradas, sem sentido e, em muitas das 14 faixas lançadas, exploram as influências que Fab, o amado baterista, trouxe em sua bagagem. Isso acontece, por exemplo, em Adam and Steve, que é tão weird quanto pode-se esperar de algo feito por Banhart. Nada como uma (duas, três, quatro…) boa e nova música indecifrável para acabar com a rotina.

Theme From Hollywood é uma das minhas preferidas, e vou dizer por que: Fabrizio Moretti e sua voz bêbada são muito exploradas nela. Surfing, faixa que dá nome ao disco, não fica pra trás, agradando até a senhora minha mãe por ter uma melodia encantadora no piano. Falando em mães, Another Mother chega e trás com ela tudo que uma despedida tem direito – exceto lágrimas, que não combinam com o espírito do Megapuss.

Lembrando de The Doors e Santana até as demos mais remotas de Devendra Banhart. Passando por folk, jazz e garage rock. Você tem que gostar de ao menos uma parte do Megapuss.

Por Alex Correa

Anúncios

2 Comentários so far
Deixe um comentário

Pois eu ando curiosa com esse Megapuss há tempos – acho que é o nome que me assusta! Agora fiquei mais curiosa ainda, vou conferir! Obrigada pela dica!

Comentário por Nathália

O Megapuss é o máximo!! Uma das melhores bandas atuais, junto com o Little Joy, claro, que não fica atrás.
Melodias leves, diferente da maioria das bandas de hoje, que só fazem barulho.
Te contagiam, te alegram…

Comentário por Dandara




Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: