Move That Jukebox!


Crítica: Lucky (Nada Surf) by Cedric
fevereiro 24, 2008, 6:45 pm
Filed under: Críticas e Recomendações, Nada Surf | Tags: , , ,

Atualmente, Nada Surf anda pelo underground, mas a banda nova-iorquina já teve seu [intenso] período de mainstream.

Lá por meados da década de 90, os caras lançaram seu primeiro CD, High/Low, e invadiu as rádios com o hit ‘Popular’, que, ironicamente, acabou ficando mais popular do que o esperado.

Mas o sucesso de Nada Surf não parou por ai. Em 99, o grupo foi convidado para gravar um tributo aos Pixies, e, algum tempo depois, em 2004, lá estava o Nada no “The O.C Mix 2”. Foi quando eu conheci o som deles.

Nesse mês (fevereiro), depois de dois anos e pouco sem lançar nenhum álbum novo, o Nada Surf veio com ‘Lucky’, o quinto álbum da banda (passei a esperá-lo ansiosamente depois de escutar ‘See These Bones’, que vazou a algum tempo).

Enquanto o último CD, ‘The Weight Is A Gift’ foi produzido por Chris Walla, guitarrista do Death Cab, ‘Lucky’ teve a participação de Ben Gibbard nos vocais de ‘From Now On’. Além de Ben, John Roderick (The Long Winters), Sean Nelson (Harvey Danger) e alguns outros contribuiram nas gravações.

Esse recém-lançado álbum já está na minha lista de ‘Melhores Downloads do Ano’ (acabo de criá-la), pelo som agradável e suave que me proporcionou nesse chuvoso domingo.

As distorções de ‘Weightless’, o coral de ‘See These Bones’, a trompa do Calexico em ‘Ice On The Wing’ dão um toque necessário – e especial – em ‘Lucky’, além dos vocais de Gibbard em ‘From Now On’, como disse acima, é claro. Até a melancolia de ‘The Film Did Not Go ‘Round’ se saiu bem, infinitamente melhor do que as a pouco citadas ‘In The Privacy of Our Love’, ‘We’re Looking For A Lot Of Love’ e ‘Whistle For Will’, do novo CD Hot Chipiano. Mas isso é uma outra história.

  1. “See These Bones”
  2. “Whose Authority”
  3. “Beautiful Beat”
  4. “Here Goes Something”
  5. “Weightless”
  6. “Are You Lightning?”
  7. “I Like What You Say”
  8. “From Now On”
  9. “Ice on the Wing”
  10. “The Fox”
  11. “The Film Did Not Go ‘Round” (originalmente de Greg Peterson)

CD Bonus (se você comprar o CD original…):

  1. “Whose Authority” (acoustic)
  2. “I Like What You Say” (acoustic)
  3. “I Wanna Take You Home”
  4. “Everyone’s On Tour”

Não deixem de assistir ‘Whose Authority’, o clipe novo do Nada que certamente foi inspirado em ‘Put Your Records On’, da Corinne Bailey Rae:

Autor: Alex Correa

 

Anúncios


Entrevista: Dois em Um by Gabriel
fevereiro 24, 2008, 12:04 am
Filed under: Dois em Um, Entrevistas | Tags: ,

Notas suaves que ecoam de um violoncelo, misturando-se com a doce e tímida voz de uma cantora (estreante, para nossa surpresa) e as idéias e necessidade de criação de um músico. Misture isso tudo a um pouco de Andrew Bird, João Gilberto, Nick Drake, Grizzly Bear. . . e por que não Radiohead?

Isso é parte de ‘Dois em Um’, projeto da carioca, violoncelista e gentil Fernanda Monteiro com Luisão Pereira, produtor musical baiano.

Conheci o projeto há pouco tempo, vagando pelo orkut e confesso a minha surpresa ao abrir o MySpace do duo. Mesmo nascido agora, em 2007, e com apenas 5 músicas gravadas, ‘Dois em Um’ já promete ser um dos grandes nomes para a música brasileira nos próximos tempos. E por incrível que pareça, todo o projeto foi desenvolvido na casa dos dois, o que não prejudica em nada a qualidade do trabalho.

Quer saber mais sobre “A soma de Fernanda Monteiro e Luisão Pereira”? Confira abaixo a entrevista com a Fernanda, vocalista e violoncelista do projeto.

MTJ: Qual a sua formação musical?

Fernanda: Como violoncelista, a mais “clássica” possível, rs. Mas antes de começar a estudar violoncelo, aos 13 anos resolvi aprender a tocar violão sozinha, porque fiquei super fã de Pearl Jam (estávamos no auge do “grunge”) e tinha um violão de bobeira lá em casa. Quando resolvi entrar no conservatório pra tomar aulas, tive contato com o violoncelo e aí não quis mais saber do violão… Desde então, tenho trabalhado basicamente com música erudita, mas de vez em quando faço gravações, shows, peças de teatro que me permitem ir para outros “caminhos”. E agora tenho o Dois em Um J.

MTJ: Como surgiu a idéia do ‘Dois em Um’? Quais eram os projetos anteriores de vocês?

Fernanda: Bom, o fato de morarmos debaixo do mesmo teto e termos bastante tempo disponível juntos foi determinante, rsrsr. E Luisão ser um compositor super produtivo! Ele compõe muito e sentia a necessidade de ver suas músicas gravadas.

Luisão sempre teve bandas desde os 12 anos, a mais conhecida foi uma banda chamada Penélope (1996-2004) www.myspace.com/penelopebanda

MTJ: Como você conheceu o Luisão? Há quanto tempo dura essa parceria musical?

Fernanda: Nos conhecemos em 2001 e desde então estamos juntos, porém musicalmente falando o Dois em Um é o nosso primeiro projeto. Já tinha gravado com a Penélope no último disco deles (‘Rock, meu amor’ – 2003) e cheguei a acompanhá-los em alguns shows. Em 2006, já aqui em casa, gravei os violoncelos no ‘Nota de um Samba Só’(www.myspace.com/luisaosongs), primeiro disco solo dele.

A idéia do duo só aconteceu em 2007.

MTJ: Você já teve passagens pela música erudita e popular. Qual seu principal foco no momento? Como o conhecimento erudito interfere nas composições?

Fernanda: Sempre é o erudito, que é o que me possibilita “viver de música”, e que também é algo pelo qual sou apaixonada. Adoro tocar em orquestra(toco na Orquestra Sinfônica da Bahia), fazer música de câmara. Mas isso nunca me impediu de escutar e curtir música dos mais variados tipos.

Não sou compositora, meu trabalho enquanto musicista é realmente o de intérprete e no Dois em Um, todas as composições são de Luis (umas são parcerias). Neste nosso projeto, só me meto nos arranjos, não só no de violoncelos, mas no geral. E agora me atrevi a cantar, algo que nunca fiz na minha vida, nem no chuveiro!

MTJ: Quais influências vocês consideram ter sido determinantes nesse projeto?

Fernanda: Acho que o que me impulsionou a fazer algo assim, além de Luisão, é claro, foi o Andrew Bird. Não que eu queira fazer algo similar ao trabalho dele só que com o violoncelo em vez do violino! É que realmente o considero um gênio – enquanto cantor, compositor, instrumentista… O admiro muito! Fora ele, tem milhares de outras coisas, as mais relevantes(e que me lembro aqui de cara) são o Radiohead (cujo trabalho solo de composição do guitarrista Jonny Greenwood só vim a conhecer agora e achei maravilhoso), Grizzly Bear, João Gilberto, Nick Drake, Múm, coisas que ouvia na adolescência e ouço até hoje, como Stereolab, Sonic Youth, Beck, Smashing Pumpkins…

MTJ: Você é carioca mas reside na Bahia, certo? Como tem sido a aceitação do público baiano com relação ao projeto?

Fernanda: Isso. Como ainda não fizemos shows, as pessoas só têm escutado nossas músicas na web mesmo e pelo que nos escrevem e nos falam, a recepção tem sido ótima, melhor até do que esperávamos.

MTJ: Como ocorre o processo de composição?

Fernanda: Começa com Luisão compondo geralmente ao violão ou ao piano. Mateus Borba (http://www.myspace.com/mateusborba), que é parceiro dele, manda letras por email. Se a música sai com cara do Dois em Um, a gente já começa a pensar em arranjo e montar as bases. Nem ensaiamos nem nada, a música já sai da cabeça direto pro computador. Vamos criando os arranjos enquanto gravamos. Vamos experimentando… às vezes fica bom, às vezes fica ruim… rsrssrrs. E quando fica pronto soltamos no myspace e no tramavirtual.

MTJ: Vocês já lançaram um EP. Quais são os próximos planos e expectativas para 2008? Algum álbum a caminho?

Fernanda: Estamos pensando seriamente num disquinho cheio!

Gostou? Quer saber mais?

MySpace | Orkut | TramaVirtual | Last.fm

Videoclipe de ‘Deixa’ (2007)

Autor: Gabriel Zorzo